Notícias

Quantidade de lixo encontrada em esgoto de Palmas/TO aumenta e BRK alerta para riscos

Publicado em 26/01/2021 às 09:02:27

Concessionária informou que removeu mais de 700 toneladas de lixo do sistema em 2020. Descarte incorreto pode fazer com que esgoto volte para dentro de casas e até romper tubulações.

tubulacao

A BRK Ambiental, concessionária que presta serviços de saneamento em 47 cidades do Tocantins, alerta para os riscos causados pelo descarte incorreto de lixo no sistema de esgoto. Somente em Palmas, ao longo do ano de 2020, foram retiradas 710 toneladas de lixo das tubulações de esgoto.

O número é maior que o registrado em 2019, quando foram retiradas 526 toneladas de lixo. A limpeza é feita de forma preventiva e os itens mais comuns são fraldas, sacolas plásticas, fio dental, papel higiênico, tampas de garrafa pet, cabelo e absorventes.

O alerta foi emitido pela BRK porque os riscos do descarte incorreto aumentam durante a temporada de chuvas. A obstrução da tubulação associada ao volume de água pode fazer com que o esgoto acabe retornando para dentro das casas ou até mesmo causar o rompimento do sistema. Há ainda ligações irregulares que acabam fazendo com que água da chuva vá parar na rede de esgoto.


LEIA TAMBÉM: Sistema de baixo custo usa água de esgoto tratada para irrigar horta


Sistema de Drenagem

A água de calhas e ralos externos deve ser direcionada para o sistema de drenagem urbana, por meio das galerias pluviais.

O lixo que é retirado pelas equipes é enviado para o aterro sanitário municipal, local adequado para o descarte.

O engenheiro da BRK, Paulo Nunes, pediu que a população seja consciente. “O lixo descartado em ralos e pias gera transtornos e problemas para o sistema de coleta de esgoto. O entupimento dessas redes coloca em risco o meio ambiente e o bem estar da população”.

Caso notem vazamentos no sistema de esgoto, os clientes podem alertar a concessionária. O contato pode ser feito gratuitamente pelo telefone 0800 6440 195. As equipes trabalham 24 horas por dia na manutenção das redes.

Fonte: G1.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *