NOTÍCIAS

Universidade do Ceará é pioneira em tratamento eficaz de água

A pesquisa envolve um material capaz de eliminar até 90% das bactérias E. Coli, principal causadora de infecções gastrointestinais e de danos aos equipamentos de dessalinização e filtração da água.

bactérias Escherichia Coli (E. Coli)

Pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC) descobriram um método muito eficiente de combater bactérias Escherichia Coli (E. Coli), um dos principais inimigos do tratamento e na dessalinização da água e também principal causa de infecções gastrointestinais na população.

O estudo, publicado na ACS Sustainable Chemistry & Engineering e desenvolvido em parceria com a Universidade de Campinas (UNICAMP) e a Universidade da Flórida (UFL), envolve revestimentos feitos a partir de um material conhecido como CNC – Capaz de eliminar até 90% das bactérias. O estudo é o primeiro a explicar este processo e pode inaugurar uma nova era no tratamento de água para consumo humano.

A ingestão de água contaminada por E. Coli é comum até mesmo em regiões não-carentes, e é hoje a principal causa de infecções no estômago e no intestino. Além de apresentar riscos óbvios à saúde das pessoas, a bactéria também é conhecida por destruir sistemas de filtração de água através de um processo chamado de “bioincrustação“, onde as bactérias aderem e se acumulam nas membranas utilizadas durante a filtragem.

Dessa maneira, eliminar a bactéria da água traz benefícios não apenas para a saúde das pessoas, mas também para os equipamentos de tratamento de água, que se tornam mais eficientes e duradouros. Segundo os pesquisadores, o pioneirismo do estudo se baseia em compreender o efeito que o CNC, material composto por nanocristais de celulose, tem quando entra em contato com a E. Coli.

Os nanocristais de celulose são estruturas que se assemelham a espinhos, capazes de perfurar a membrana celular das bactérias e destruí-las caso elas entrem em contato físico. Desta maneira, o material não apenas protege o filtro do acúmulo de bactérias como também desinfeta a água.

“Enquanto a maioria das abordagens se baseia no uso de compostos químicos (…) os nanocristais de celulose atuam pela promoção de um estresse físico nesses organismos. – Victor Teixeira Noronha ao portal UFC.”

O experimento levou em consideração diversas amostras de membranas com ou sem revestimento de CNC. Em comparação com filtros comuns, os revestidos com nanocristais de celulose registraram uma diminuição de até 90% na taxa de contaminação por E. Coli, um resultado considerado excelente.

 

LEIA TAMBÉM: Documentário Amazônia 4.0 é tema de evento do jornal inglês Financial Times

A celulose e o combate às bactérias

Nanomateriais com atividade antimicrobiana estão sendo cada vez mais requisitados no mundo, e os nanocristais de celulose são destaque tanto por sua efetividade quanto por sua praticidade. Outras alternativas já haviam sido estudadas anteriormente, mas sua produção era cara e poderia causar grandes impactos ao meio-ambiente.

A celulose é um material conhecido por ser utilizado na produção de papel. É abundante na natureza, não-artificial e fácil de ser obtido através de folhas, fibras e troncos de plantas. Isto torna o processo de fabricação dos nanocristais mais fácil e barato, e seu impacto no meio-ambiente mínimo.

A publicação já é uma grande conquista e demonstra o potencial da ciência nas universidades federais brasileiras. De acordo com o pesquisador Victor Teixeira Noronha, o próximo passo nas pesquisas é testar os CNCs com outros tipos de bactérias e analisar os impactos da incorporação de diferentes materiais ao revestimento antimicrobiano.

 

FONTE: TEMPO.COM