Notícias

Obras da maior planta de dessalinização de água do mar do Brasil tem seu cronograma alterado devido ao cenário da Pandemia

A planta de dessalinização de água de mar que produzirá água potável para a produtora de aço localizada no Espírito Santo, ArcelorMittal Tubarão, teve sua execução estendida como consequência de medidas preventivas da luta contra o coronavírus

 

dessalinizacao

 

O projeto da maior planta de tratamento de água do mar do país teve seu cronograma reajustado mediante um acordo entre a ArcelorMittal e a Fluence por conta da pandemia.  A siderúrgica, muito atenta aos cuidados recomendados pelas autoridades de saúde, agiu para minimizar riscos e aglomerações de pessoal em seu site. Uma das medidas foi a reprogramação de obras em execução, com redução do contingente de pessoal externo na unidade de Tubarão.

A execução do sistema de dessalinização de água do mar realizado pela empresa Fluence também foi afetada tendo sua finalização prevista para 2021. Por conta das circunstâncias do momento que envolve todo o mundo, a planta não entrará em operação no prazo previsto, nada tendo relação com dificuldades técnicas de quaisquer empresas envolvidas.

Esta planta tratará grandes volumes de água do mar e fornecerá à indústria recursos que beneficiam não apenas a si mesma, mas também aos habitantes da cidade de Vitória, uma vez que contribuirá para redução da demanda do Rio Santa Maria da Vitória.

Projeto pioneiro

Segundo Alejandro Sturniolo, Diretor da IDA para a América Latina e Caribe: “Este projeto é pioneiro em sua configuração, escala, qualidade da água produzida e seu destino, que atenderá a indústria siderúrgica, liberando as fontes de água potável locais, beneficiando a população local, sem impacto ambiental”.


LEIA TAMBÉM: ÁGUA DE AR-CONDICIONADO PODE SER REUTILIZADA, CONCLUI PESQUISA DA UFPB.


De acordo com o Gerente Geral de Sustentabilidade e Relações Institucionais da ArcelorMittal Tubarão, João Bosco Reis da Silva, o projeto também dará oportunidade ao Espírito Santo de aprender mais sobre esse tipo de tecnologia.

“Desenvolveremos parcerias com várias instituições do meio acadêmico, que poderão vir a conhecer e estudar o funcionamento e operação deste tipo de sistema, fomentando o desenvolvimento de mão de obra capixaba especializada nesta área, que é totalmente inovadora”, comenta.

Segurança hídrica para a população local

A região enfrenta escassez de água devido à capacidade limitada dos reservatórios locais. Por isto, a empresa decidiu inovar investindo em uma planta de dessalinização de água do mar em um país onde esta tecnologia não é popular nem muito conhecida pela maioria da população. Assim, eles podem ter uma fonte alternativa e não dependerão das fontes de água superficial, o que garante maior segurança para a empresa e a para a população em geral.

A ArcelorMittal realizou estudos para implementar o projeto e incluiu as melhores tecnologias e fornecedores do mundo. A pesquisa contou com a participação do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento ArcelorMittal, que envolveu pesquisadores do Brasil e da Espanha (Astúrias). Na avaliação de riscos, custos e aspectos operacionais, duas plantas de dessalinização da Fluence Argentina foram tomadas como Puerto Deseado e fornece água para redes públicas e o outra está em breve entrando em funcionamento na cidade de Caleta Olivia.

O processo da planta consiste na captação de água do mar e seu tratamento por osmose reversa, uma tecnologia já estabelecida e aplicada em países como Israel, Espanha, Austrália, Argentina e Estados Unidos. A planta ocupará cerca de 6.000 m², tornando-se a maior planta de dessalinização do país. Sua capacidade inicial será de 500 m³/hora (12.000 m³/dia) e poderá ser ampliada no futuro.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: DESINFECÇÃO POR UV MINIMIZA O POTENCIAL POLUIDOR DOS CONTAMINANTES EMERGENTES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: SANESUL CONCLUI A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO EM LAGUNA CARAPÃ/MS


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *