NOTÍCIAS

DAAE: análise classifica a qualidade da água dos mananciais de abastecimento de Araraquara como ‘ótima’ e “boa’

O Daae, através da Diretoria de Tratamento de Água e Esgotos, realizou a coleta, análise e sistematização dos parâmetros de água bruta nos três mananciais de abastecimento público do município (Ribeirão das Anhumas, Ribeirão das Cruzes, Córrego Águas do Paiol) para determinar o Índice de Qualidade de Água Bruta para Fins de Abastecimento Público (IAP).

A aferição desse índice servirá para o processo de tratamento de água e para ações voltadas a preservação e conservação dos recursos hídricos

Imagem ilustrativa

Como resultado, foi obtida a classificação da água do Ribeirão das Anhumas, manancial localizado em zona rural, como “Ótima” e água do Ribeirão das Cruzes e Córrego Águas do Paiol como “Boa”, sendo estes dois mananciais localizados em zona urbana do município.


LEIA TAMBÉM: COM SITUAÇÃO CRÍTICA EM MANANCIAIS, LIMEIRA COMEÇA A CAPTAR ÁGUA DE REPRESA RESERVA


 

Para o Coordenador da Unidade de Proteção, Recuperação e Conservação dos Recursos Hídricos da autarquia, Leonardo Ciomini, essa classificação aponta a influência direta dos impactos da urbanização nos parâmetros de qualidade e quantidade das águas superficiais, mas, também, confirma que as ações ambientais de controle, fiscalização e proteção dos recursos hídricos realizadas no âmbito municipal ao longo dos anos vem apresentando resultados positivos na atualidade.

A aferição desse índice servirá de suporte a diversas gerências da autarquia, tanto na tomada de decisões para o processo de tratamento de água, bem como para ações voltadas a preservação e conservação dos recursos hídricos. Vale ressaltar que, atualmente, o abastecimento público municipal é feito com 35% de volumes captados de água oriunda de manancial superficial.

Fonte: Prefeitura de Araraquara


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: OS PLÁSTICOS NÃO APENAS INUNDAM OS MARES, MAS TAMBÉM REVESTEM OS SOLOS AGRÍCOLAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: PETROBRAS VAI PERFURAR NA MARGEM EQUATORIAL EM 2022 E ANUNCIA INVESTIMENTOS DE MAIS DE R$ 11 BILHÕES EM EXPLORAÇÃO NO ATIVO