Notícias

Bombas da estação de esgoto do Salto Grande/SP estão sobrecarregadas

Câmara aprova alteração em lei para financiamento que vai adequar estação elevatória na região da Praia Azul

tratamento-de-esgoto

As duas bombas da EEE (Estação Elevatória de Esgoto) do Balneário Salto Grande, em Americana, estão sobrecarregadas, de acordo com o superintendente do DAE (Departamento de Água e Esgoto), Carlos Cesar Gimenez Zappia.

A informação foi divulgada durante sessão extraordinária na câmara nesta terça-feira (25). A reunião foi convocada para votar um projeto de lei do Executivo para alterar a recém-sancionada lei que autoriza um empréstimo de R$ 10 milhões com a Caixa Econômica Federal.

Os vereadores aprovaram a mudança por unanimidade. O recurso será pleiteado junto a Caixa Econômica Federal através da Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento).

Troca do Equipamento

A ideia é usar o recurso para trocar toda a rede de água do bairro São Vito e realizar as adequações na estação elevatória, o que inclui a substituição das bombas.

De acordo com Zappia, a EEE foi idealizada nos anos 1980, construída no final dos anos 1990, e não foi planejada para comportar o crescimento “desenfreado” da região da Praia Azul.

“Consequentemente, a estrutura não está mais resistindo e causa problemas sérios. A gente tem que manter uma equipe full time lá para tentar manter aquele sistema em operação e evitar transbordo, que mesmo assim às vezes acontece”, disse Zappia.

Obras

A obra que o DAE pretende executar no local também envolve a execução de uma nova linha de recalque. A ideia é modificar o percurso que leva o esgoto até a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) e deixar de passar pela Avenida Maranhão.

“Essa nova estação vai intervir o caminho e vamos subir pelo lado oposto, de costas para a represa, e vamos sair na ETE. Um caminho mais curto, muito mais rápido e que vamos ter mais garantia porque vamos cruzar ruas que tem menos trânsito efetivo”, detalhou Zappia.

Questionado pelo vereador Gualter Amado (Republicanos) sobre o funcionamento simultâneo das bombas, que são responsáveis por bombear águas que contenham resíduos, o superintendente disse que o ideal é de que uma bomba funcione enquanto a outra permanece de “reserva” para eventuais manutenções.

“O grande problema daquela região é que hoje as duas bombas trabalham concomitantemente por causa do dimensionamento do equipamento. Mesmo o tanque que recebe o esgoto foi planejado sem prever um crescimento tão grande”, ressaltou Zappia.

“Quando vamos fazer manutenção lá, eu tenho que desligar as duas porque as duas estão com problemas. Geralmente elas pifam em conjunto. Raramente pifa uma ou consigo fazer manutenção de uma porque estão trabalhando acima da capacidade”, acrescentou.

Com o financiamento, o DAE pretende instalar três conjuntos motobomba, o que deve garantir estrutura para o crescimento da região pelos próximos 20 anos.

Lei

Com a aprovação do novo projeto, a intenção da prefeitura é realizar a operação de crédito com garantia da União. O movimento é possível porque a cidade recebeu no dia 14 de agosto a classificação “B” em capacidade de pagamento do Tesouro Nacional.

Na prática, isso significa que caso a prefeitura não pague os valores para a Caixa, a União cobrirá os gastos, o que também diminui juros do empréstimo.

Como consequência, seria retida a transferência de cotas de repartição municipal para a prefeitura, como ICMS (Imposto de Circulação de Mercadorias) e FPM (Fundo de Participação dos Municípios), até que o valor honrado seja quitado.

Fonte: O Liberal.


NOTÍCIA DO DIA: Pesquisa com organismos aquáticos avalia níveis seguros de agrotóxicos na água


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *