NOTÍCIAS

BNDES investe R$80 milhões para construção de 4 usinas de biomassa em Roraima

Novas usinas de biomassa financiadas pelo BNDES levarão energia elétrica sustentável a 148 mil residências da região Norte do Brasil.

Obras vão substituir parte da energia elétrica a diesel e evitar liberação de milhões de toneladas de gases do efeito estufa

Imagem usina de biomassa
Imagem Ilustrativa do Canva – Biomassa BNDES

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é uma das instituições nacionais que mais investe em novas tecnologias. Recentemente anunciou o investimento de R$80 milhões para a construção de 4 usinas de biomassa para produção de energia elétrica no Estado de Roraima. A promessa é de que essa nova infraestrutura consiga substituir a energia oriunda do diesel e ainda evitar a liberação de quase 3 milhões de toneladas de gases do efeito estufa, sendo altamente sustentável.

As novas termelétricas vão ser instaladas em 2 municípios distintos de Roraima: Cantá e Boa Vista. Na cidade de Cantá ficarão as usinas de Bonfim e Cantá e no Boa Vista as usinas Pau Rainha e Santa Luz. Toda essa infraestrutura será responsável por produzir em torno de 40 MW o que é o suficiente para levar energia elétrica a 148 mil residências. O investimento partiu do BNDES Fundo Clima – Modalidade Energias Renováveis, e visa trazer mais sustentabilidade ao Brasil.


LEIA TAMBÉM: RECUPERAÇÃO DE FLORESTAS, COMO O BNDES QUER ACELERAR


Biomassa será produzida de cavacos de madeira e usinas de Roraima vão compartilhar clusters a partir do investimento do BNDES

A biomassa que será usada nas usinas de Roraima será obtida a partir dos resíduos da indústria madeireira, ou seja, de cavacos de madeira. Para geração diária de energia elétrica, estima-se que será necessário em torno de 1 mil tonelada por dia do produto para queima. Todavia, esse material vai ser retirado sempre de áreas de reflorestamento, visando o contínuo e sustentável fornecimento de biomassa.

Todo o processo de geração da madeira obterá certificação no padrão FSC (Forest Stwardship Council) que regulamenta a legalidade do processo e a qualidade dentro de padrões ambientais e sociais. Dessa forma, a sustentabilidade será assegurada em toda a cadeia e permitirá que a produção se dê em larga escala, sempre com renovação da matéria-prima.

As usinas terão o compartilhamento de clusters entre si, ou seja, de aglomerados para geração de energia elétrica. O cluster Serra da Lua, que fica na cidade de Cantá, irá ligar as termelétricas de Bonfim e Cantá enquanto o de Jacitara, em Boa Vista, vai ligar as usinas de Pau Rainha e Santa Luz. Cada cluster vai permanecer a 90 quilômetros de distância um do outro e vai possibilitar o compartilhamento dos sistemas de conexão, por meio do financiamento do BNDES.

Afinal, o que é biomassa e porque ela é melhor que o diesel nas termelétricas?

A biomassa é um tipo de energia renovável obtida a partir de resíduos encontrados na natureza, especialmente do bagaço de cana e de cavacos de madeira. Pode também ser obtida do reaproveitamento de resíduos urbanos e agrícolas. Ela funciona como um meio para produzir biocombustíveis e biogás e se tornou uma alternativa muito importante aos combustíveis fósseis, como o diesel usado com frequência nas termelétricas para produção de energia elétrica.

Atualmente a biomassa é responsável por 8% da matriz energética do Brasil e pode reduzir a emissão de gases do efeito estuda de modo significativo. A queima do material lenhoso ou dos resíduos orgânicos para geração de energia elétrica é muito promissora, pois imita um processo natural de combustão, emitindo menor quantidade de gases do efeito estufa. Sendo assim, o investimento do BNDES torna a biomassa em um ótimo e potencial substituto dos combustíveis fósseis na busca de um mundo mais sustentável.

Fonte: Click Petróleo e Gás


ULTIMAS NOTÍCIAS: SISTEMA CANTAREIRA (SP) VOLTA A OPERAR NA FAIXA DE ALERTA EM JULHO

ULTIMAS NOTÍCIAS: FORD SE COMPROMETE A USAR AO MENOS 10% DE ALUMÍNIO PRODUZIDO COM CARBONO ZERO ATÉ O FINAL DA DÉCADA