NOTÍCIAS

Projeto BiogásFORT® da Embrapa Suínos e Aves é premiado pelo Ministério do Meio Ambiente

Projeto foi reconhecido como uma das melhores práticas de sustentabilidade do país na oitava edição do Prêmio A3P

 

biogas

Imagem Ilustrativa

 

O projeto BiogásFORT®: Inovação energética para agregação de valor de resíduos por meio da mobilidade com biometano, da Embrapa Suínos e Aves, foi reconhecido como uma das melhores práticas de sustentabilidade do país na oitava edição do Prêmio A3P (Agenda Ambiental na Administração Pública) promovido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). O BiogásFORT® ficou em terceiro lugar na categoria “Uso sustentável dos recursos naturais”. Em segundo lugar, foi escolhido o “Bosque da Justiça”, do Tribunal de Justiça do Estado do Acre. O vencedor foi o Instituto Federal de Santa Catarina – Campus Gaspar, com “Protagonismo jovem: a pesquisa como ferramenta para uma formação cidadã”. A cerimônia na manhã de quinta-feira (17) foi realizada de maneira on-line devido à pandemia causada pelo coronavírus e pode ser assistida na íntegra no canal do MMA no YouTube:

O BiogásFORT® foi lançado em outubro de 2018 durante solenidade em comemoração aos 43 anos da Embrapa Suínos e Aves. A Unidade de Produção de Biometano aproveita o biogás gerado a partir dos dejetos suínos das granjas como combustível veicular. O BiogásFORT® fornece combustível para o veículo que atende as demandas externas da Embrapa Suínos e Aves na cidade. A tecnologia é semelhante à usada em veículos movidos a GNV.

A Unidade de Produção de Biometano da Embrapa Suínos e Aves é a primeira em Santa Catarina e uma das primeiras no Brasil nesta escala. A produção é feita a partir dos dejetos suínos gerados nas granjas da Unidade e passam pela Estação de Tratamento de Dejetos Suínos – ETDS. O diferencial também está em um biofiltro, que faz o processo de purificação. O processo de biofiltragem, que remove enxofre do biogás, foi resultado de pesquisas anteriores com o apoio da Eletrosul.

De acordo com o pesquisador Airton Kunz, chefe de pesquisa e desenvolvimento, o biometano apresenta a vantagem de ser um combustível gerado a partir de fonte renovável, substituindo a fonte fóssil.

“O Brasil assumiu metas de redução do uso de fontes fósseis. E apresentar alternativas para isso é um dos compromissos da Embrapa”, diz. Ainda de acordo com ele, a não emissão de metano diretamente ao ambiente reduz o efeito estufa.


LEIA TAMBÉM: BIOGÁS É A SOLUÇÃO PARA CRISES DE ABASTECIMENTO ELÉTRICO?


Regulamentação da ANP

O processo segue regulamentações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e atende diversos compromissos com a produção de energia a partir de fontes renováveis. Um deles está vinculado ao Objetivo de Desenvolvimento Estratégico – ODS 7 – Energia Limpa e Acessível.

O projeto executivo da Unidade de Produção de Biometano da Embrapa Suínos e Aves tem a parceria da Janus & Perguer e Kemia.

Outras categorias – Também foram classificadas as outras 12 instituições finalistas nas categorias: “Inovação na Gestão Pública”, “Gestão de Resíduos”, “Destaque da Rede A3P” e “Categoria Especial: Combate ao Lixo no Mar”.

O Prêmio A3P tem por finalidade reconhecer o mérito das iniciativas dos órgãos e instituições do setor público na promoção e na prática da A3P, de maneira a identificar e reconhecer as iniciativas implementadas no âmbito da administração pública que contribuam para a sustentabilidade; estimular a implementação de iniciativas inovadoras de gestão socioambiental que contribuam para a melhoria do ambiente organizacional e do meio ambiente; compartilhar informações que sirvam de inspiração ou referência para iniciativas de outras instituições; e encorajar e recompensar as instituições que possuem compromisso com a implementação da A3P.

Todos os finalistas passaram por um processo de vistoria técnica entre março e setembro para atestar a conformidade das ações desenvolvidas nos diferentes projetos. Com o uso de ferramentas digitais, estima-se que houve uma economia de pelo menos R$ 10 mil com despesas referentes a diárias, passagens aéreas e deslocamentos terrestres, bem como se evitou a emissão de cerca de 4 toneladas de CO2. A utilização de novas tecnologias para a realização das vistorias está alinhada com as premissas e diretrizes da A3P.

Fonte: Biomassa e Energia.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: SABESP INVESTE R$ 30,2 MILHÕES NA TEMPORADA DE VERÃO NO LITORAL NORTE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO CONTARÃO COM MAIS DE R$ 100 MILHÕES EM 2021