Notícias

Tratamento sustentável de efluentes com resultados comprovados da Biowater Technology

Publicado em 07/06/2018 às 11:27:57

Após um ano de operação, a nova estação de tratamento de efluentes da empresa Smaken av Grimstad,na Noruega, resolveu desafios e abriu novas oportunidades.

O processo de tratamento é sustentável, produz calor, lodo mínimo e um efluente tratado com grande potencial de reúso.

biowater

A fábrica de processamento Smaken av Grimstad, no sul da Noruega, produz mais de 40 variedades de frutas e vegetais. Em 2016, a instalação aumentou a produção e consequentemente, o volume de efluentes proveniente da lavagem dos ingredientes naturais. Mesmo com uma redução significativa no consumo de água nos últimos 5 anos, os efluentes da instalação estavam sobrecarregando a estação municipal de tratamento de esgoto. No ano passado, portanto, a empresa decidiu construir sua própria estação de tratamento, resolvendo o problema. A solução é sustentável e ecológica e, ao mesmo tempo, amenizou os desafios do município.

biowater

“Os resultados foram além das expectativas. A estação funciona bem e nos dá um excedente de energia na forma de calor, que eventualmente usaremos a nosso favor. O processo é tão eficiente que também permite o reúso da água “, afirma o gerente de qualidade Sigmund Leiros, da Smaken av Grimstad.

Processos que usam resíduos orgânicos para produzir biogás não são novos, mas fazê-lo com águas de efluentes industriais é mais complicado. A qualidade dos efluentes varia significativamente, por isso a tecnologia torna-se mais complexa para atender aos requisitos de descarga. A solução para a Smaken de Grimstad foi, portanto, seguida com grande interesse pela indústria alimentícia norueguesa.

“Um artigo na revista Næringsmiddelindustrien, nos colocou no caminho certo com a empresa norueguesa Biowater, que entregou a solução”, disse o CEO Jan Rommetveit.

Enquanto as estações de tratamento tradicionais exigem muito espaço, consomem produtos químicos e produzem muito lodo, esse processo é o oposto. Ele ocupa pouco espaço e usa os recursos dos efluentes de maneira direta. O coração da planta é um tanque de bactérias produtoras de metano, que vive dos efluentes líquidos. A bactéria consome os compostos orgânicos na água, que é alimentada a partir de um tanque intermediário para garantir uma grande tolerância à variação do fluxo. O processo biológico não requer produtos químicos, mas o pH é ajustado ligeiramente antes do tratamento.

“O que torna o método surpreendente, é que aproximadamente 75% dos resíduos orgânicos vão diretamente para o gás metano, que pode ser utilizado diretamente como fonte de energia”, diz o gerente de engenharia, Ilya Savva, da Biowater Technology, em Tønsberg.

No topo do tanque, o processo termina com uma planta de biofilme aerado, que remove resíduos de matéria orgânica e quaisquer odores. Uma característica inteligente da solução é que o lodo da parte superior recai na primeira parte da planta para digestão, contribuindo para uma operação estável, menos lodo na saída e alta produção de gás. Além disso, a etapa biológica pode ser executada em diferentes fases, dependendo da quantidade exigida. Pode ser executado com a remoção periódica de lodo quando necessário.

“A estação fornece o combustível metano e, no total, uma contribuição positiva de energia.” Usar o gás para aquecimento é o próximo objetivo para nós “, disse Leiros.

Uma característica importante do processo é que o efluente contém poucas partículas, baixas substâncias dissolvidas e praticamente não fornecem lodo. Uma questão histórica são os requisitos rigorosos para a manipulação do lodo, que é tecnicamente exigente para o processo e, muitas vezes, associado a enormes custos na sua destinação.

“Temos trocado lodos por gás, portanto, recebemos ganhos duplos”, afirmou Leiros.

O processamento de frutas e vegetais requer muita água. O fato de que a água tratada é de boa qualidade, permite agora ganhos adicionais através do reúso de água com a tecnologia de membranas.

Durante uma semana de amostragem, os resultados mostraram que a estação apresentou uma redução de 90,4% da demanda química de oxigênio (DQO) no efluente. Ao mesmo tempo, a redução de substâncias dissolvidas foi de 91,2%. Os efluentes contêm, como análises anteriores indicaram aproximadamente 250-850 kg DQO total/ dia.

“Tivemos como meta uma redução de 86% do total de DQO, por isso tem sido um bônus real ter alcançado resultados muito melhores. Também nos deu mais biogás do que o esperado, bem como água efluente mais limpa”, destaca Savva.

No lado da energia, também há boas notícias. Como a planta requer muito menos suprimento de ar do que outros sistemas de tratamento e possui poucos componentes mecânicos, consome menos energia, aproximadamente 1 kWh/m³ de água tratada. A produção de gás na estação é estável e aproximadamente 0,4 m³ de metano por kg reduziram a DQO. Em resumo, o processo contribui consideravelmente nas contas de energia. Os efluentes foram previamente operados pela ETE Municipal (Groos RA), e agora possui um volume de efluentes muito menor. Sem a medida, a estação de tratamento da Groos teria que ser ampliada. O projeto custou cerca de 1,3 milhão de libras esterlinas para construir e recebeu apoio da Enova, uma organização pública da Noruega, que apoia projetos para desenvolver futuros sistemas de energia e reduzir os gases do efeito estufa.

De acordo com a Biowater, o processo, denominado HyVAB *, é especificamente adaptado aos efluentes da indústria alimentícia, de produtos farmacêuticos e de empresas municipais de saneamento. O benefício, incluindo a qualidade da água tratada e a quantidade de gás que você pode contar, dependerá da composição dos efluentes, mas pode ser simplesmente avaliada por sua equipe de especialistas.

* HyVAB significa Biofilme Anaeróbio Vertical Híbrido.

A Memphis Empreendimentos Ltda. desenvolve, projeta e constrói soluções para o mercado de tratamento de efluentes industriais e esgotos domésticos. A equipe da Memphis tem experiência internacional em mais de 35 anos de projetos e instalações de tratamento biológico de efluentes, utilizando as mais modernas tecnologias de tratamento, em parceria com a norueguesa Biowater Technology AS, detentora das tecnologias MBBR (Reator Biológico com Leito Móvel), CFAS (Lodo Ativado e Filme Fixo Combinados), CMFF (Filme Fixo com Mistura Completa) e CFIC (Vazão Contínua e Limpeza Intermitente), esta para o tratamento visando o reúso de efluentes com a utilização de membranas de ultrafiltração.

memphis

CONTATO

Telefone: 55-11-2738 9613

Celular: 55-11-98244 3216

contato@memphis.ind.br

Email: contato@memphis.ind.br ou rubens.franciscojr@gmail.com

ENDEREÇO

Rua Nazaré Paulista, 522 – Fundos, Vila Madalena, São Paulo – SP, Brasil, CEP 05448-000

Gheorge Patrick Iwaki
gheorge@webapp233877.ip-104-237-133-206.cloudezapp.io
Produtor de Conteúdo

Portal Tratamento de Água


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *