NOTÍCIAS

Sistema Produtor São Lourenço poderá captar até 6,4 mil litros por segundo

Novo manancial para atender a Região Metropolitana de São Paulo, o Sistema Produtor São Lourenço poderá captar até 6,4 mil litros por segundo, funcionando 24 horas por dia. A nova vazão foi outorgada pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), após pedido da Sabesp, que inicialmente tinha autorização para retirar 4,7 mil litros na cachoeira do França, em Ibiúna. Esse volume será suficiente para atender até dois milhões de moradores dos municípios de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista, região onde mais cresce a população na metrópole, além de reforçar o abastecimento em áreas hoje atendidas por outros sistemas.

                                     

O cronograma de conclusão está previsto para abril de 2018 com a possibilidade de entrar em operação assistida no final de 2017. Com aproximadamente 3,9 mil funcionários trabalhando simultaneamente em 27 frentes de serviços, as obras do Sistema Produtor de Água São Lourenço alcançaram 32% de execução. O pico da obra deve acontecer em julho, quando cerca de quatro mil operários estarão trabalhando em 40 frentes de serviço.

Até o momento, foram concluídas as estruturas pré-moldadas para a estação elevatória, que terá cinco conjuntos de motobombas, que vão bombear a água captada na cachoeira do França por 50 km de adutoras até a Estação de Tratamento de Água (ETA) Vargem Grande. Com 19 metros de altura e 45 metros de diâmetro, os três reservatórios metálicos da ETA já foram montados e terão capacidade para armazenar 25 milhões de litros de água bruta cada um. No local também está sendo construído um reservatório de concreto, que vai armazenar 20 milhões de litros de água tratada. Outros dois reservatórios metálicos, com capacidade para armazenar 30 milhões de litros de água tratada, serão montados no município de Itapevi.

Em todo o trajeto da captação até a ETA, as adutoras terão 2,1 metros de diâmetro. A partir da ETA, a água segue por mais 33 km de adutoras, levando água para os reservatórios que abastecem a região, além das interligações com o Sistema Integrado Metropolitano. Dos 83 km de adutoras projetadas, 38 km foram instalados até maio. A tubulação que levará a água até as residências inclui ainda um túnel de mil metros em maciço rochoso, dos quais 850 metros já foram escavados.
Realizado por meio de uma PPP (Parceria Público-Privada) pelas construtoras Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, o novo sistema tem investimento de R$ 2,21 bilhões. O contrato de concessão tem duração de 25 anos, divididos em fase de obras e de prestação de serviços.

Fonte: Sabesp