NOTÍCIAS

Planta dessalinizadora para o Atacama

Planta dessalinizadora terá capacidade final de 1.200 l/s e atenderá a população de quatro localidades no Chile

 

planta-dessalinizadora-img01-0517

 

Nove consórcios de empresas locais e internacionais estão participando do processo de cotação da “Planta Desalinizadora de Agua de Mar para Atacama” para a Econssa (Empresa Concesionaria de Servicios Sanitarios), concessionária estatal do Chile.

Os consórcios são os seguintes:

1. Acciona Agua e Acciona Infraestructuras;
2. Besalco e Aqualia;
3. Dragados e Tedagua;
4. Ferrovial Agroman e Cadagua;
5. IDE Technologies;
6. Inima e Claro Vicuña;
7. Suez International e Degremont;
8. Técnicas Reunidas e Initec; e
9. Valoriza e Sadyt

O projeto

 

planta-dessalinizadora-img02-0517

 

O projeto consiste na captação da água do mar e a sua dessalinização em uma planta por osmose reversa (SWRO) e o bombeamento aos diversos pontos de abastecimento da população das localidades de Caldera, Chañaral, Copiapó e Tierra Amarilla, que hoje é servida pelo aquífero do rio Copiapó.

A construção da planta será realizada em três etapas, com o objetivo de alcançar uma capacidade máxima final de 1.200 litros por segundo de água tratada:

• Primeira Etapa: capacidade de 450 l/s;
• Segunda Etapa: capacidade de 450 l/s (alcançando um total de 900 l/s);
• Terceira Etapa: capacidade de 300 l/s (alcançando os 1.200 l/s).

O custo total do projeto está estimado em 250 milhões de dólares.

O prazo final para a entrega das propostas é agosto e a assinatura do contrato está prevista para o quarto trimestre de 2017.

Fontes: Desalination Biz e Econssa, adaptado por Portal Tratamento de Água – www.tratamentodeagua.com.br