NOTÍCIAS

PGE recebe quatro propostas para usina de dessalinização na RMF/Ceará

Projetos foram entregues ontem (06) e disputa entre valores é acirrada, segundo titular da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Francisco Teixeira. Cagece ainda irá analisar ofertas antes de anunciar vencedor

 

dessalinizacao

 

A Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) deu mais um passo no processo de licitação da usina de dessalinização a ser construída em Fortaleza. Ontem (06), por meio da Central de Licitações da Procuradoria Geral do Estado (PGE), a empresa recebeu propostas de quatro interessados no equipamento, segundo revelou o titular da Secretaria de Recursos Hídricos do Estado (SRH), Francisco Teixeira.

Ele ressaltou o grande avanço para a diversificação hídrica no Ceará que o processo licitatório dá. “É um momento histórico, uma quebra de paradigma na política de água rumo à diversificação da matriz hídrica. É uma satisfação ter quatro grandes consórcios disputando o direito de fornecer água para a Cagece”, diz.

Ele ainda destaca que a planta será a de maior escala do Brasil. “Nós temos uma experiência apenas em Fernando de Noronha, mas que é incomparável com o que será a nossa”, aponta. Segundo a Cagece, a usina de Fortaleza terá capacidade de um metro cúbico por segundo (m³/s).

Processo

Em nota, a companhia confirmou que recebeu, na manhã de ontem, “proposta comercial e documentos de habilitação das empresas e consórcios participantes da licitação relativa à concessão dos serviços que compreendem elaboração de projetos, construção, operação e manutenção de Planta de Dessalinização de Água Marinha“.

A empresa esclareceu que ainda vão haver duas etapas até o fim do processo licitatório e o anúncio do vencedor: a análise da proposta comercial e, posteriormente, da habilitação do participante que ofertar a melhor proposta.

“A empresa ou consórcio vencedor somente será conhecido após a realização dessas duas etapas”, acrescenta o texto. Até o momento, a Cagece não informou o prazo para a realização dos desses passos.


LEIA TAMBÉM: DESSALINIZAÇÃO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO AGRÍCOLA: UMA OPORTUNIDADE PERANTE A SECA NO CHILE


Também por meio de nota, a empresa cearense Marquise Infraestrutura, participante da licitação, informa que saiu na frente em relação aos concorrentes no critério de menor contraprestação anual. O comunicado também revela que o contrato tem o valor de R$ 118 milhões por ano.

Ainda segundo a empresa, o equipamento atenderá dois reservatórios da Cagece contemplando os bairros Praia do Futuro, Caça e Pesca, Serviluz, Vicente Pinzon, Dunas, Aldeota, Varjota, Papicu e Cidade 2000.

“É um projeto de grande envergadura. Tanto no sentido do pioneirismo, visto que será a maior do Brasil em extensão e em produção de água, como em relação à questão social – levar abastecimento de água para pessoas é promover saúde e dignidade, ainda mais para essa região que historicamente sofre com constantes secas”, avalia Renan Carvalho, diretor da Marquise Infraestrutura.

Projeto

A usina de dessalinização que vai ser construída na Praia do Futuro, em Fortaleza, deve utilizar a tecnologia por osmose reversa – também conhecida como osmose inversa – para obtenção de água potável. Esse processo é uma técnica que separa a água do sal por meio da aplicação de uma pressão sobre a água. Pressionada sobre uma membrana, a solução mais concentrada não penetra, mas a solução mais diluída atravessa o filtro, separando as duas soluções. Hoje, há 55 plantas de dessalinização em funcionamento no mundo que utilizam o sistema de osmose.

Os estudos também preveem que a usina captará água do mar a uma distância de 2,5 mil metros da costa e 14 metros de profundidade.

Fonte: Diário do Nordeste.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: FALTA DE CHUVA FAZ NÍVEIS DE ÁGUA CAÍREM A ATÉ 8,4% EM REPRESAS DO ALTO TIETÊ

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: ESTUDO DIZ QUE HÁ 14 MILHÕES DE TONELADAS DE MICROPLÁSTICOS NO FUNDO DO MAR