NOTÍCIAS

5 motivos para preservar as florestas de mangue

Essas áreas são importantes fontes de biodiversidade, além de garantirem o sustento das populações locais.

Para os mais leigos, os manguezais podem parecer apenas primos costeiros das grandes florestas tradicionais, mas a verdade é que esses ecossistemas são responsáveis por sustentar a vida no planeta, oferecendo condições perfeitas para criadouros de peixes e até locais de armazenamento de carbono e proteção contra inundações.

No entanto, apesar da sua importância para a natureza, as florestas de mangue estão ameaçadas. Mais de um terço delas já desapareceu e, em regiões como as Américas, elas estão sendo desmatadas mais rapidamente do que as florestas tropicais.

Grande parte dessa devastação é motivada por expansões na agricultura, pelo desenvolvimento industrial ou por projetos de infraestrutura.

Além das mudanças climáticas e da poluição, também existem ameaças locais. Isso inclui a superexploração de madeira com vistas para o mercado de combustível e construção, a instalação de represas que reduzem o fluxo de água que chega às florestas e a pesca excessiva, responsável pela interrupção nas cadeias alimentares das comunidades de peixes.

O portal “We Forum”, do Fórum Econômico Mundial, listou cinco razões pelas quais as florestas de mangue devem ser preservadas. Veja, na galeria abaixo, quais são elas:

 

1. Elas são uma defesa costeira natural

O robusto sistema de raízes das árvores ajuda na formação de uma barreira natural contra tempestades e inundações. Os sedimentos dos rios e da terra acabam presos nessa parte das plantas, o que protege as áreas costeiras e retarda a erosão da região. O processo de filtragem também evita que sedimentos prejudiciais cheguem aos recifes de coral e prados de ervas marinhas.

Em 2017, a Conferência do Oceano da ONU estimou que cerca de 2,4 bilhões de pessoas viviam em um raio de 100 km da costa. Assim, os manguezais são protetores importantes para as comunidades que sofrem com risco de aumento do nível do mar e outros eventos climáticos severos causados ​​pelas mudanças climáticas.

 

2. Elas são sumidouros de carbono

Os manguezais ajudam na luta contra o aquecimento global ao remover o dióxido de carbono da atmosfera e armazenar o gás nas plantas. E quando as raízes, galhos e folhas dessas árvores morrem, eles acabam cobertos pelo solo submerso da água das marés, o que diminui a degradação dos materiais e aumenta o armazenamento de carbono.

Pesquisas mostram que os manguezais superam em até quatro vezes a capacidade de uma floresta tropical comum de armazenar carbono.

 

3. Elas fornecem meios de subsistência

Muitas pessoas que vivem dentro e ao redor dos manguezais dependem deles para seu sustento. As árvores, por exemplo, são uma importante fonte de madeira para a construção e obtenção de combustível, muito reconhecida pela sua resistência ao apodrecimento e ao ataque de insetos. No entanto, em algumas áreas, a madeira foi explorada para obtenção de celulose, cavacos e carvão, o que aumentou as preocupações sobre a sustentabilidade do material.

Os extratos das plantas também são coletados pelos habitantes locais devido às suas qualidades medicinais, além das folhas das árvores de mangue que são utilizadas como forragem para animais.

Por fim, as águas da floresta fornecem aos pescadores locais um rico suprimento de peixes, caranguejos e crustáceos para vender e, assim, obter uma fonte de renda.

 

4. Elas incentivam o ecoturismo

O turismo sustentável, além de oferecer um estímulo à preservação das áreas de manguezais existentes, é uma potencial fonte de geração de renda para os habitantes locais.

Frequentemente localizado perto de recifes de coral e de praias arenosas, esse tipo de floresta oferece um ambiente rico para atividades como pesca esportiva, caiaque e passeios de observação de pássaros.

Claro, é sempre importante manter o equilíbrio entre o número de visitantes para proteger esse delicado ecossistema das florestas. Se mantido em níveis sustentáveis, o ecoturismo poderia fornecer a motivação perfeita para proteger os manguezais, em vez de extingui-los com o desenvolvimento do turismo de massa.

 

5. Elas são ricas em biodiversidade

A atividade humana causou uma enorme perda de biodiversidade nos ecossistemas terrestres e marinhos em todo o mundo, colocando em risco muitas espécies de plantas e animais.

Ao filtrar as águas costeiras, os manguezais formam um terreno fértil rico em nutrientes para inúmeras espécies que prosperam acima e abaixo da linha de água. Uma enorme variedade de vida selvagem usa a água dos mangues para procriar, incluindo peixes, espécies de caranguejos, camarões, moluscos e mamíferos como tartarugas marinhas. Já as árvores costumam ser o lar de uma variedade de aves nidificantes, reprodutoras e migratórias. Assim, quando as florestas de mangue são derrubadas, há perda de habitat valioso, ameaçando a sobrevivência de inúmeras espécies.

Mas essa não é toda a história. As florestas também são uma fonte potencial de materiais biológicos não descobertos que podem beneficiar a humanidade, como compostos antibacterianos e genes resistentes a pragas. Fatores que também são perdidos quando áreas costeiras acabam desmatadas.

O desmatamento de áreas de manguezais e de outras florestas como a Amazônia tiveram um grande impacto em diferentes espécies. A IUCN (Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em português) mostra que de 68.574 espécies de invertebrados, 8.374 estão à beira da extinção.

Proteger ecossistemas naturais como florestas de mangue não apenas ajuda na preservação da biodiversidade, como auxilia na manutenção de um recurso vital para as comunidades locais.

 

Fonte: Forbes