NOTÍCIAS

Aumento de eficiência em remoção de DBO em ETE de indústria de papel

A baixa eficiência em remoção de carga orgânica de uma ETE de uma indústria de Papel Ondulado e Embalagens, localizada no estado de São Paulo, causou grandes transtornos à empresa por não conseguir adequar o seu efluente aos padrões exigidos pela legislação ambiental.

 

papel-ondulado

 

Subdimensionada, a ETE por Lodos Ativados, apresenta tempo de detenção hidráulica (TDH) de apenas 10h, concentração de oxigênio dissolvido (OD) máximo de 0,7 mg/L e a eficiência em remoção de DBO era de apenas 45%, com vazão diária de 360 m³.

Devido aos processos operacionais e ao tipo de papel utilizado para a produção, há grandes oscilações na carga de entrada, dificultando ainda mais o equilíbrio do sistema.

Para auxiliar na degradação, a SUPERBAC iniciou aplicação diária de um blend de microrganismos facultativos específicos para este tipo de efluente, considerando as oscilações de carga de entrada e os parâmetros físicos, químicos e biológicos do sistema para os cálculos de concentração de microrganismos a serem bioaumentados ao sistema.


LEIA TAMBÉM: LAGOA DA EUCATEX GANHA EFICIÊNCIA COM USO DE SOLUÇÃO BIOTECNOLÓGICA.


O blend de microrganismos da SUPERBAC trabalha como complemento à biota natural, sem prejudicar a população do lodo.

Como resultado, no 3º mês de aplicação, a eficiência em remoção de DBO atingiu 64% e, a partir do 6º mês de tratamento, a eficiência se manteve dentro dos padrões da legislação ambiental vigente, como apresentado no gráfico abaixo:

ete

Vale lembrar que os parâmetros operacionais e físicos não sofreram alterações ao longo do tempo.

Escrito por: Monique Zorzim – Gerente Técnica

Conheça as soluções da Supebac