NOTÍCIAS

Planta de indústria de embalagens em Embu das Artes/SP reduz consumo de água em 25% e embala um futuro sustentável

A empresa surpreende e consegue aplicar racionalidade e manter índices de economia acima do padrão

embalagens

A sustentabilidade, em todos os seus aspectos, sempre foi um pilar essencial para a fabricante de embalagens de Embu das Artes, uma das empresas protagonistas do mercado global em seu segmento. Com relação aos indicadores de uso de água – recurso usado em grandes volumes em toda indústria de papel – a empresa surpreende e consegue aplicar racionalidade e manter índices de economia acima do padrão, tendo alcançado redução de 25% no uso de água no processo produtivo e geração de efluentes nos últimos 3 anos em sua planta na região metropolitana de São Paulo.

Em Embu das Artes (SP), o circuito fechado tem aproveitamento de até 94%, um dos menores indicadores de consumo de água encontrados na produção de papelcartão. “Apenas quando essa água atinge um nível de saturação que possa ocasionar impacto no processo produtivo, ela é devolvida como efluente, e, ainda assim, sai com qualidade muito superior do que quando é captada, sendo todo o processo devidamente monitorado pelo Time do Setor de Utilidades”, explica a gerente de Qualidade, Meio Ambiente e Sistemas de Gestão da Ibema, Andrea Pegorini. A média de geração de efluentes na planta de Embu, hoje, é de 4 m³ por tonelada de papelcartão produzida.


LEIA TAMBÉM: PROJETOS DE TRANSPOSIÇÃO DE ÁGUA: BENÉFICOS OU PREJUDICIAIS AO MEIO AMBIENTE?


Reaproveitamento das fibras

Outro ganho de processo benéfico também para o meio ambiente é o reaproveitamento das fibras, com o retorno de rejeitos ao processo produtivo. “Agora conseguimos o reaproveitamento de até 60% do volume dos rejeitos gerados no depurador, que antes eram descartados como lodo no processo de tratamento.”

Em sua planta de Turvo, no interior do Paraná, a empresa também adotou ações que reduziram o consumo de água e geração de efluentes em 15% nos últimos três anos – hoje a média de geração de efluentes é de 11,6 m³ por tonelada produzida.

Além das estações de tratamento de água e de efluentes, a empresa mantém em Turvo um Sistema de Recuperação de Água e Fibras, em que a água excedente da produção é transferida para uma torre e encaminhada para um sistema de recuperação por flotação.

“A água clarificada retorna ao processo e alimenta as áreas do Preparo de Massa e Pasta Mecânica (em torno de 60%). As fibras resultantes desse processo são encaminhadas via bombeamento ao setor de preparação de massa e 100% delas são devolvidas ao processo produtivo, atividade desenvolvida e devidamente monitorada pelo Time do Setor de Utilidades da Planta de Turvo”, ressalta a gerente.

Esses são alguns exemplos de como a Ibema cuida do meio ambiente e, também, prepara o futuro das próximas gerações.

Fonte: Jornale.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: GOVERNO DE SP ASSINA CONTRATO DE CONCESSÃO DA USINA SÃO PAULO, NO RIO PINHEIROS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: TRATAMENTO DE EFLUENTES PARA INDÚSTRIA DE CERVEJAS E BEBIDAS