NOTÍCIAS

Fonte limpa e prática no processo de abastecimento – como a energia elétrica vem desbancando os combustíveis fósseis e seus desafios

O setor automobilístico tem se reinventado com o uso da energia. Isso vem acontecendo visando as vantagens que a energia elétrica proporciona quando comparada aos combustíveis tradicionais.

A energia elétrica representa uma fonte mais limpa e mais prática no que diz respeito ao abastecimento, ao contrário dos combustíveis fósseis, como gasolina e diesel

Imagem ilustrativa

Uma outra importante vantagem é que a energia não causa danos no desempenho do veículo. Assim, os carros elétricos têm autonomia de cerca de 400 quilômetros e chegam a potências proporcionais aos motores a combustão, motivo pelos quais até as montadoras acreditam que, num futuro próximo, a energia elétrica ocupará grande parte do espaço dos combustíveis.

Por outro lado, surge uma questão que vai além da discussão sobre combustíveis fósseis ou energia elétrica: casas, apartamentos, condomínios ou prédios estão preparados para receber esta tecnologia?

Levando em conta que essa transição de combustíveis a eletricidade pode estar mais próxima do que o imaginado, é importante conseguir uma resposta a essa questão. Diferentemente de um celular ou de um liquidificador, um carro que possui massa superior a uma tonelada não será abastecido por uma simples tomada residencial.

Resolver este problema é mais complexo, já que envolve projetos de engenharia modernos, que adaptam pontos de abastecimento para cada vaga nas garagens. Como o assunto em questão é a energia elétrica, sabe-se que o aumento da demanda por ela resultará num maior desempenho das hidrelétricas, que, até então, são as fontes principais de energia no Brasil. Tudo isso deve, então, ser levado em conta nas soluções de engenharia e arquitetura para os próximos anos.


LEIA TAMBÉM: SISTEMA HÍBRIDO PROPÕE MELHOR APROVEITAMENTO DA ENERGIA SOLAR


Relação entre energia elétrica com energia solar

Primeiramente, essa mudança deve partir da instalação de painéis solares com grande capacidade de produção de energia. Porém, levando em consideração que a maioria das pessoas que adquirem um imóvel desembolsam financiamentos de 15 ou mais anos, imagina-se que vão morar por um longo período no local, inclusive quando os veículos movidos a energia elétrica atingirem a popularidade.

Por essa razão, deve-se atentar às adaptações futuras, que passam também pela oferta de um controle inteligente e sustentável do que não é feito internamente, não apenas pelo fornecimento da energia.

Atualmente, já existem gerenciadores que seguem as demandas: quando houver grande consumo de energia elétrica em todo o condomínio, o abastecimento dos carros é suspenso. Com a redução do consumo de energia ao longo do dia, o gerenciador volta a carregar os veículos que estiverem conectados à eletricidade.

Esse método garante sustentabilidade e, consequentemente, economia de energia elétrica aos condomínios, ainda que com a presença desses carros.

A discussão não se trata apenas de mudanças futuras, mas do que já é verídico nos projetos de engenharia. A fim de ilustrar o aumento dessa necessidade, a Agência Internacional de Energia (IEA) expôs que, no 1º trimestre de 2021, as vendas de veículos que não utilizam combustíveis fósseis aumentaram 140% ao redor do mundo. Segundo a Agência, em 2020 o mundo gastou US$ 120 bilhões na compra de carros elétricos.

Fonte: Click Petróleo e Gás


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: BANDEIRA DE ESCASSEZ HÍDRICA SERÁ MANTIDA EM 2022?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: ESTUDO DIZ QUE SECA TORNA AS ONDAS DE CALOR MAIS QUENTES, MAS MENOS MORTAIS