NOTÍCIAS

Estudo diz que seca torna as ondas de calor mais quentes, mas menos mortais

Durante as ondas de calor, não chove e o solo seca. Essa seca aumenta ainda mais o aumento das temperaturas das ondas de calor.

Secar os solos torna as ondas de calor menos mortais para os seres humanos, em vez de mais, devido à redução da umidade do ar, de acordo com um estudo da Universidade de Ghent (Bélgica)

Imagem ilustrativa

Ondas de calor e secas estão causando excesso de mortalidade e danos à sociedade em todo o mundo. Por exemplo, o número de mortes relacionadas à onda de calor europeia do ano de 2003 é superior a 70.000, mas as ondas de calor mais recentes também causaram um excesso de mortalidade considerável, além da pandemia de COVID-19.

Até agora, acreditava-se que a secagem dos solos tornava as ondas de calor ainda mais mortais, aumentando ainda mais as temperaturas das ondas de calor. Afinal, um solo mais seco causa menos evaporação. Consequentemente, mais energia permanece na superfície da Terra para aquecer ainda mais o ar externo.

Mas o efeito da seca sobre a temperatura é enganoso: a alta umidade do ar também dificulta o resfriamento do corpo humano pela transpiração, aumentando as chances de superaquecimento. Menos evaporação ao mesmo tempo leva a uma menor umidade do ar. Esse efeito benéfico assume e torna as ondas de calor menos mortais.

Melhores medidas contra a seca e o calor

Os resultados deixam mais claro quais medidas contra períodos de seca e calor mortal são mais eficazes. Esses períodos estão ficando mais longos, mais frequentes e mais intensos em um clima mais quente. Muitas medidas já estão em vigor, como (re)florestamento e irrigação de terras agrícolas e são necessárias para a conservação da natureza, biodiversidade, agricultura e produção de alimentos.


LEIA TAMBÉM: LABORATÓRIO DA USP INVESTIGA NOVAS TECNOLOGIAS PARA CAPTURA E UTILIZAÇÃO DE CO2


 

No entanto, este estudo mostra que essas medidas de resistência à seca são ineficazes contra o calor mortal e podem até ser prejudiciais, embora amenizem temperaturas extremamente altas. O efeito favorável devido a uma temperatura mais baixa é anulado pela maior umidade, o que torna o calor mais intenso. Portanto, as medidas eliminam o efeito benéfico da seca durante as ondas de calor mortais.

O estudo ressalta mais uma vez quão grande é o desafio de combater o calor e a seca cada vez mais mortais e, que medidas aparentemente eficazes contra o calor podem continuar a sair pela culatra. Por isso é necessário, antes de tudo, combater o aquecimento global em suas bases, reduzindo drasticamente as emissões de gases de efeito estufa.

Além disso, as medidas existentes contra a seca e o calor devem ser reconsideradas e medidas alternativas resistentes à seca e ao calor devem ser exploradas nos setores agrícola, alimentar e hídrico. Seria necessário mergulhar nas espécies vegetais mais adaptadas a um clima mais seco e quente.

Opções de cultivo (por exemplo, trigo ou milho) e medidas agrícolas (por exemplo, plantio direto ou modificação genética de culturas) precisam ser consideradas para reduzir o uso de água e refletir melhor a energia solar. É necessária uma investigação mais aprofundada para determinar a eficácia e adequação dessas medidas.

Fonte: Iagua
Adaptado para Portal Tratamento de Água
Traduzido por Jaqueline Morinelli


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: OSMOSE REVERSA CRESCE COMO ALTERNATIVA NO TRATAMENTO DE ÁGUA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: COMO FUNCIONA UM MEDIDOR DE VAZÃO ELETROMAGNÉTICO