NOTÍCIAS

Fernando de Noronha ganhará novo sistema de dessalinização

Instalação de um novo sistema de dessalinização da água do mar em Fernando de Noronha

Fernando de Noronha

Segundo o órgão, o processo será feito com a tecnologia de osmose reversa, com investimentos de R$ 22 milhões.

 

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta segunda-feira (8), a ordem de serviço para a instalação de um novo sistema de dessalinização da água do mar, no Arquipélago de Fernando de Noronha. Segundo o órgão, o processo será feito com a tecnologia de osmose reversa, com investimentos de R$ 22 milhões. A projeção é de um aumento de quase cinco vezes na oferta de água potável para a população.

Conforme a administração, o novo equipamento terá capacidade para produzir 72 metros cúbicos de água por hora (m³/h) – o atual produz 15 metros cúbicos por hora. O objetivo é que, no futuro, os dois sistemas operem de forma simultânea.

“Serão investidos R$ 22 milhões nesse novo equipamento e também na ampliação da rede de distribuição, do saneamento e do número de poços, o que vai permitir o fim do racionamento de água em Noronha. A previsão é que obra seja concluída até o próximo mês de julho. Sem dúvida, é uma ação fundamental para garantir segurança hídrica aos moradores de Fernando de Noronha e aos turistas que visitam a ilha”,afirmou o governado Paulo Câmara.

 

Leia Também: Conversão da energia das ondas para a dessalinização da água por osmose reversa com produção de salmoura

 

A água dessalinizada em Fernando de Noronha corresponde a 30% do abastecimento do arquipélago, que é complementado com captação de água doce do Açude do Xaréu, tratada na Estação de Tratamento de Água da Compesa – ETA Noronha, e por poços artesianos. O investimento inclui, ainda, a implantação de outros serviços e a aquisição dos equipamentos necessários ao projeto, que está sob a coordenação da Compesa.

Ainda conforme o Governo do Estado, além do aumento da produção de água por meio do dessalinizador, também será adquirido um reservatório metálico com capacidade para mil metros cúbicos, que garantirá uma autonomia de aé quatro horas de abastecimento da ilha, caso ocorra algum problema operacional. O projeto contempla também a aquisição de conjuntos moto-bomba para água do mar, com seus respectivos quadros de comando, e a implantação de quatro quilômetros de rede de distribuição para demandas futuras por água.

 

Fonte: DiarioDePernambuco

 

Últimas Notícias: Sanepar orienta sobre responsabilidade com ligação de água tratada

Últimas Notícias: Água da transposição do Rio São Francisco só será bombeada para a PB em caso de emergência, diz ministério