NOTÍCIAS

Grafeno vai revolucionar o mercado da filtração de águas e efluentes

“O grafeno tem propriedades especiais que podem revolucionar as técnicas de filtração comerciais”

 

grafeno-0217

 

As empresas australianas Clean TeQ e Ionic Industries juntaram forças com um pesquisador principal da Universidade de Monash para desenvolver a próxima geração de tecnologias de filtração de águas e efluentes.

Os novos produtos de filtração de efluentes serão baseados nos últimos avanços em nanotecnologia, usando o óxido de grafeno para aumentar dramaticamente a performance e reduzir o atual consumo de energia.

A equipe de pesquisa e desenvolvimento por trás desse projeto recebeu recentemente um financiamento do governo australiano através do programa Cooperative Research Centres Projects (CRC-P) e tem por meta entregar os produtos do trabalho nos próximos 2 a 3 anos.

O Professor Associado Mainak Majumder, pesquisador principal da Universidade de Monash, tem um forte histórico de avanços em tecnologia de grafeno. Em 2016 a sua equipe foi a primeira a aperfeiçoar uma técnica que pode criar filtros de grafeno em escala industrial.

“O grafeno tem propriedades especiais que podem revolucionar as técnicas de filtração comerciais e reduzir significativamente a energia requerida para filtrar efluentes”, ele disse.

Planejamos ser os primeiros a levar essa tecnologia revolucionária ao mercado na Austrália e em países em desenvolvimento

O Diretor Executivo da Clean TeQ, Peter Voigt, disse que o financiamento do CRC-P vai apoiar a entrega ao mercado de tratamento de água e efluentes de um processo contínuo de baixa energia.

“O mercado comercial para tratamento de água e efluentes é estimado em USD 54 bilhões até 2020. A escassez de água doce é uma barreira crítica à produção de energia e alimentos e para a indústria em geral. Fontes de água doce contaminadas, tais como águas subterrâneas e de superfície e efluentes municipais, são excelentes fontes de água desde que possa ser tratada de forma econômica. Planejamos ser os primeiros a levar essa tecnologia revolucionária ao mercado na Austrália e em países em desenvolvimento tais como China, Índia, América do Sul e África do Sul, onde o acesso à agua doce limpa é uma questão importante”, ele disse.

O Diretor de Gestão da Ionic Industries, Simon Savage, disse estar entusiasmado em ser parte da joint venture e em continuar com a longa história de trabalhos com a Universidade de Monash e com o Professor Majumder. A Ionic e a Universidade de Monash foram parceiros em dois programas sobre tecnologia de grafeno.

“A nossa parceria com o Professor Associado Majumder foi fundamental para auxiliar a transição da expertise de fabricação do grafeno do laboratório para as aplicações comerciais; e o envolvimento da CleanTeQ, uma companhia australiana altamente bem-sucedida, é o atestado da força e das possibilidades dessa tecnologia”, ele disse.

O novo processo é uma oportunidade maravilhosa para o setor de água global

O grafeno é uma rede de átomos de carbono tão fina que é considerada bidimensional. Tem sido aclamado como um material maravilhoso devido às suas incríveis características de performance e gama de potenciais aplicações.

A Professora Ana Delitic, Diretora de Infraestrutura de Monash, Reitora Associada de Pesquisa e pesquisadora especialista mundial em água, disse que o novo processo é uma oportunidade maravilhosa para o setor de água global.

“Esse sistema vai modernizar a gestão atual de efluentes da Austrália de uma abordagem de tratamento tradicional para uma de baixa energia com recuperação de recursos”, ela disse.

A professora Deletic estará envolvida no projeto com os pesquisadores da Universidade de Monash, Dr. Rico Tabor e Professor Associado David McCarthy.

Fotos: Ionic Industries

Fonte: Monash University, adaptado por Portal Tratamento de Água