Esse trabalho avalia o potencial de reaproveitamento nas Estações de Tratamento de Efluentes (ETE) no município do Rio de Janeiro, RJ.
Este trabalho apresenta metodologia para compensação dos danos ocasionados nos recursos hídricos, por lançamento de esgotos.
O sistema de tratamento da cidade de OG, em Israel, recebe parte do esgoto gerado na cidade de Jerusalém. A ETE é composta por lagoas aeradas e facultativas.
Para o desenvolvimento da pesquisa foram dispostas macrófitas da espécie Eichhornia crassipes, em um sistema hidropônico contendo dois tipos de tratamento.
O projeto apresentado tem como intuito mostrar uma forma sustentável no tratamento de esgotos domésticos com ênfase em Evapotranspiração com auxílio de Bananeiras nas zonas rurais do país.
O emissário submarino é um tipo de tratamento de esgoto: ele lança o resíduo tratado em corpos hídricos a grandes profundidades.
Comparações de sistemas individuais de manejo de resíduos que apresentam simples métodos construtivos para o tratamento e disposição de esgoto.
O Plano Regional de Esgotos (PRE) é uma ferramenta usada pela Unidade, para concentrar todos os esforços e mão de obra em setores em Itaim/SP.
Este projeto tem como objetivo retirar lançamentos de esgoto pontuais em canais de drenagem de água pluvial com o uso de uma calha coletora.
As ETEs como instalação de recuperação de recursos e ETEs sustentáveis com o uso do biogás, produção de biossólidos e água de reuso.
O diagnóstico consiste em realizar varreduras através de lavagens, limpezas, testes de corantes, mapeamentos e filmagens em redes e ramais de esgotos.
Foi estudada a possibilidade de utilização do Lodo (biossólido), oriundo da ETE Suzano na conformação de blocos cerâmicos isolantes térmicos.
O projeto de beneficiamento de biogás para produção de biometano para uso veicular, da ETE Franca – São Paulo, com capacidade de produzir de 1.500 a 1.700 Nm3/h de biometano.
A utilização de Poços em plástico, quando comparada com os executados em tubos de concreto apresenta algumas vantagens que serão relatadas nesse trabalho.
O estudo apresentado busca trazer, além da importância da integração entre os processos, a relevância da utilização de ferramentas avançadas e novas tecnologias, como a modelagem hidráulica e medidores de alta precisão.
O reuso do lodo de ETA em geotecnia é uma importante estratégia para reduzir os impactos ambientais decorrentes da sua disposição inadequada.
O presente estudo teve como objetivo avaliar a codigestão anaeróbia de uma mistura ternária de lodo de esgoto com resíduos orgânicos e glicerol bruto.
Este trabalho apresenta os resultados da aplicação da metodologia de avaliação abrangente de desempenho para o diagnóstico operacional de uma ETE.
Com base nos resultados esperados para esta pesquisa, serão identificados os benefícios do uso do geotecido na etapa de desaguamento e fornecidas informações a respeito da concentração de sólidos suspensos totais no lodo a ser desaguado.
A hidrólise térmica pode ser dedicada ao descarte de lodo ativado, de forma a produzir mais biogás e menos lodo, gerando um balanço de massa e de energia.

Categoria de Artigo: Tratamento de Esgoto

Esse trabalho avalia o potencial de reaproveitamento nas Estações de Tratamento de Efluentes (ETE) no município do Rio de Janeiro, RJ.
Este trabalho apresenta metodologia para compensação dos danos ocasionados nos recursos hídricos, por lançamento de esgotos.
O sistema de tratamento da cidade de OG, em Israel, recebe parte do esgoto gerado na cidade de Jerusalém. A ETE é composta por lagoas aeradas e facultativas.
Para o desenvolvimento da pesquisa foram dispostas macrófitas da espécie Eichhornia crassipes, em um sistema hidropônico contendo dois tipos de tratamento.
O projeto apresentado tem como intuito mostrar uma forma sustentável no tratamento de esgotos domésticos com ênfase em Evapotranspiração com auxílio de Bananeiras nas zonas rurais do país.
O emissário submarino é um tipo de tratamento de esgoto: ele lança o resíduo tratado em corpos hídricos a grandes profundidades.
Comparações de sistemas individuais de manejo de resíduos que apresentam simples métodos construtivos para o tratamento e disposição de esgoto.
O Plano Regional de Esgotos (PRE) é uma ferramenta usada pela Unidade, para concentrar todos os esforços e mão de obra em setores em Itaim/SP.
Este projeto tem como objetivo retirar lançamentos de esgoto pontuais em canais de drenagem de água pluvial com o uso de uma calha coletora.
As ETEs como instalação de recuperação de recursos e ETEs sustentáveis com o uso do biogás, produção de biossólidos e água de reuso.
O diagnóstico consiste em realizar varreduras através de lavagens, limpezas, testes de corantes, mapeamentos e filmagens em redes e ramais de esgotos.
Foi estudada a possibilidade de utilização do Lodo (biossólido), oriundo da ETE Suzano na conformação de blocos cerâmicos isolantes térmicos.
O projeto de beneficiamento de biogás para produção de biometano para uso veicular, da ETE Franca – São Paulo, com capacidade de produzir de 1.500 a 1.700 Nm3/h de biometano.
A utilização de Poços em plástico, quando comparada com os executados em tubos de concreto apresenta algumas vantagens que serão relatadas nesse trabalho.
O estudo apresentado busca trazer, além da importância da integração entre os processos, a relevância da utilização de ferramentas avançadas e novas tecnologias, como a modelagem hidráulica e medidores de alta precisão.
O reuso do lodo de ETA em geotecnia é uma importante estratégia para reduzir os impactos ambientais decorrentes da sua disposição inadequada.
O presente estudo teve como objetivo avaliar a codigestão anaeróbia de uma mistura ternária de lodo de esgoto com resíduos orgânicos e glicerol bruto.
Este trabalho apresenta os resultados da aplicação da metodologia de avaliação abrangente de desempenho para o diagnóstico operacional de uma ETE.
Com base nos resultados esperados para esta pesquisa, serão identificados os benefícios do uso do geotecido na etapa de desaguamento e fornecidas informações a respeito da concentração de sólidos suspensos totais no lodo a ser desaguado.
A hidrólise térmica pode ser dedicada ao descarte de lodo ativado, de forma a produzir mais biogás e menos lodo, gerando um balanço de massa e de energia.