Biblioteca

Uso de membrana de microfiltração seguida de ultrafiltração no tratamento de efluente líquido de indústria de soro de leite

Publicado em 04/01/2021 às 11:30:21

Resumo

O objetivo deste trabalho foi utilizar membrana de microfiltração (MF) seguida de uma membrana de ultrafiltração (UF) no tratamento de efluente líquido de indústria de soro de leite. Foi verificado que o fluxo da membrana de MF foi maior que a de UF. Em relação aos parâmetros nitrogênio total e carbono orgânico total a membrana de UF se apresentou mais eficiente do que a de MF. No entanto, nenhum parâmetro avaliado (cor, pH, nitrogênio total e carbono orgânico total) apresentou valores dentro da faixa estabelecida pela Resolução 128 de 2006 do Conselho Estadual do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul.

Introdução

As indústrias alimentícias geram grandes montantes de efluentes líquidos, o que leva ao descarte de praticamente toda água utilizada e não incorporada ao produto e/ou evaporada no processamento. Dentre estas indústrias encontram-se as de processamento de leite, as quais são caracterizadas como as maiores poluidoras do meio ambiente (ANDRADE et al., 2014; PABBY et al., 2015). O maior descarte de efluentes ocorre nas produtoras de queijo (EMBRAPA, 2012). No Brasil, em 2018 foram produzidos cerca de 33,8 bilhões de litros de leite, onde 35% são destinados a produção de queijo (AGENCIA BRASIL, 2020), sendo que para cada 1 kg de queijo produzido, são gerados cerca de 9 kg de soro.

Portanto, são produzidas grandes quantidade de soro.Dentre os principais destinos do soro estão a produção de concentrados proteicos (LUPKI, et al., 2019) e de soro de leite em pó. Toda a água e parte dos componentes originais do soro, bem como águas residuais da limpeza formam o maior volume de efluente dessa indústria (BRIÃO e TAVARES, 2012). Os tratamentos de efluentes geralmente são físico-químicos e biológicos (SMITHERS, 2008). No entanto, para alcançar os limites exigidos pela legislação, não necessários na maioria das vezes o uso também de outras tecnologias, como os processos de separação com membranas (PSM).

Autores: Airton Campanhola Bortoluzzi; Rogério Marcos Dallago; Marcus Vinícius Tres; Juliana Steffens; Jamile Zeni e Clarice Steffens.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *