BIBLIOTECA

FLUID BRASIL – Cresce uso da tecnologia de MBR no Brasil na indústria e no saneamento

A Fluid Brasil, em janeiro de 2010, inaugurou fábrica nova em Jundiaí-SP com 3 mil m2 de área construída, fez planta piloto de MBR para 500 l/h em um contêiner que usa para realizar testes em clientes interessados na tecnologia.

Para a demonstração, fez skid com as membranas da Norit Air Lift e Cross Flow. Mas, mais do que a planta piloto, a empresa já começa a implantar sistemas em escala real e promete ter muitas novidades em breve, segundo afirmou o coordenador de projetos, Luís Guilherme da Rocha. “Há muitas cotações em clientes industriais que em breve passarão a usar MBR”, disse.

No momento a Fluid fornece para a farmacêutica Diosynth, do grupo Merck, um MBR com tecnologia cross-flow da Norit para tratar 6 m3/h de efluente da produção de hormônio com alto grau de contaminação: DQO de 24 mil mg/l e DBO de 27 mil mg/l. De acordo com Rocha, a opção pela tecnologia foi em virtude do alto custo que a empresa tem para despejar o efluente na rede de tratamento da companhia de saneamento, já que o cálculo é baseado no chamado fator K, multiplicador que no final das contas onera os efluentes mais contaminados.

“O investimento vale a pena e ainda vai gerar reúso para a torre de resfriamento”, completou o gerente-comercial da Fluid, Francisco Faus.

O projeto deve ser entregue em setembro de 2010. Para se fortalecer nos fornecimentos de MBR, e aumentar assim as vendas em tratamento de efluentes e reúso, a Fluid assinou contrato de parceria com a alemã Wherle, cuja expertise é na engenharia de aplicação de reúso com membranas. “Eles têm mais de 200 MBRs instalados na Europa”, revelou o coordenador. Esse conhecimento, de acordo com Rocha, é fundamental para poder ofertar a tecnologia com mais confiança. “No Brasil, ninguém tem experiência suficiente em MBR para conhecer todos os problemas operacionais que podem ocorrer em uma planta.”

Matéria: FLUID BRASIL na Revista Química e Derivados.

http://www.fluidbrasil.com.br/