Notícias

Estação de tratamento da Austrália do Sul aproveita a energia dos biossólidos

Publicado em 03/02/2017 às 10:49:33

A ETE Bolivar tem seis digestores de 7.800 m3, projetados para processar mais de 120 toneladas de biossólidos por dia

 

australia-biogas

 

Austrália – A maior estação de tratamento de efluentes (ETE) do estado da Austrália do Sul (SA) é autossuficiente em 87% da energia consumida, graças ao biogás produzido a partir de biossólidos.

A autossuficiência da ETE Bolivar, com capacidade de 150 milhões de litros por dia, aumentou dos 63% registrados no ano fiscal 2014-2015, disse o CEO da SA Water Roch Cheroux.

“Alcançamos isso investindo cerca de 26 milhões de dólares para instalar e conectar uma nova infraestrutura para aumentar consideravelmente a geração de energia a partir do biogás”, disse Cheroux.

“Instalando três novos motores a gás, cada um capaz de gerar uma carga instantânea de cerca de 2.400 kW, conseguimos fazer o melhor uso do biogás para produzir eletricidade renovável e calor”.

“Os motores são regulados frequentemente para assegurar uma geração de energia otimizada”.

Cheroux disse que os ganhos em autossuficiência não foram motivados apenas pelo investimento em tecnologia, mas também por melhoramentos na planta.

“O crédito aos constantes esforços do pessoal operacional da ETE Bolivar, aumento da confiabilidade dos motores e uso mais eficiente do biogás significa que a planta está perto da autossuficiência em energia”, disse Cheroux.

A ETE Bolivar tem seis digestores de 7.800 m3, projetados para processar mais de 120 toneladas de biossólidos por dia.

A eletricidade renovável gerada seria suficiente para abastecer 4.000 residências.

“A energia renovável gerada na ETE Bolivar é obtida totalmente da produção do biogás”, disse Cheroux. “A maior parte do substrato que alimenta os digestores é na forma de lodo primário e lodo ativado descartado”.

Fonte: Australian Water Association, adaptado por Portal Tratamento de Água.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *