NOTÍCIAS

Cagece aprova emissão de R$ 775 milhões em debêntures

A Cagece explica que cada debênture terá valor unitário de R$ 1.000. O fato foi comunicado ao mercado pela companhia na segunda-feira, 8

 

ete

Imagem Ilustrativa

 

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) aprovou a emissão de R$ 775,9 milhões em debêntures simples, dividido em duas séries. O fato foi comunicado ao mercado na segunda-feira, 8.

A Cagece explica que cada unidade terá valor unitário de R$ 1.000. A primeira série emitida compreende o montante de R$ 260 milhões. A segunda, R$ 515,9 milhões.

“Os recursos líquidos obtidos pela Emissora por meio da integralização das debêntures da primeira série, serão destinados a investimentos e/ou contrapartidas de dívidas, reembolso de gastos e despesas relacionadas a investimentos e reforços da reserva de liquidez da emissora”, pontua a Cagece.


LEIA TAMBÉM: PORTO MURTINHO/MS RECEBE OBRAS DE SANEAMENTO DO GOVERNO DO ESTADO E SANESUL


Projetos financiados

A companhia explica que a segunda série de debêntures é voltada exclusivamente para financiamento dos seguintes projetos:

  • Projeto de implantação do sistema de esgotamento sanitário das sub-bacias CE-7, CE-8, CE-9 e estação de tratamento de esgoto Cocó em Fortaleza;
  • Projeto de redução de perdas de água nos sistemas de abastecimento da emissora;
  • Projeto básico hidráulico – sanitário para ampliação do sistema integrado de abastecimento de água tratada das cidades cearenses de Horizonte, Pacajus e Chorozinho;
  • Projeto básico hidráulico-sanitário para interligação do sistema Taquarão com os sistemas de abastecimento de água de Maranguape e Maracanaú.

IPO

Em janeiro deste ano, a Cagece cancelou o pedido de oferta pública de ações (IPO). A empresa já havia solicitado a interrupção do processo de análise do IPO à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em julho de 2020. O prazo, de 180 dias, acabou vencendo em dezembro do ano passado.

A expectativa da Cagece era movimentar até R$ 1,5 bilhão com o IPO. No entanto, a companhia não descarta realizá-lo em um futuro momento.

A empresa hoje é controlada pelo Governo do Estado, que detém 88,4%. A Prefeitura de Fortaleza possui 11,4%. O restante está nas mãos de acionistas minoritários.

Fonte: Focus.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: PROGRAMA ÁGUAS BRASILEIRAS SELECIONA 26 PROJETOS DE REVITALIZAÇÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: SAMAE DE BLUMENAU/SC BUSCA R$ 100 MILHÕES PARA DOBRAR CAPACIDADE DO TRATAMENTO DE ÁGUA