BIBLIOTECA

Estudo das principais técnicas para o tratamento de água produzida de petróleo: Uma análise das principais metodologias utilizadas em campo

Resumo

A água produzida é uma mistura de diferentes compostos orgânicos e inorgânicos presente na rocha assim como o óleo e o gás, é o maior efluente gerado na exploração e produção de petróleo. Possui em sua composição elevados teores de sais, óleo dissolvidos, metais pesados e substâncias tóxicas. Essa água pode ser utilizada na própria exploração do petróleo ou descartada de acordo com o volume de resíduos encontrados em sua composição. Para a definição desse destino, é necessário o tratamento da água produzida utilizando métodos físicos (adsorção física, filtros de areia, ciclones, evaporação, precipitação de ar dissolvido, C-TOUR), químicos (precipitação química, oxidação química, processo eletroquímico, tratamento fotocatalítico, processo de fenton, tratamento com ozono, líquidos iônicos, desemulsificadores) e biológicos (tratamento de membranas).Esse trabalho analisou os diferentes métodos e identificou o tratamento de separação por membranas como o mais eficaz através de uma revisão literária.

Introdução

As atividades de produção de petróleo geram grandes volumes de resíduos líquidos. A água produzida é o principal efluente sendo encontrado em maior quantidade nas reservas de petróleo, é retida durante as formações subsuperficiais que são trazidas para a superfície com o óleo ou o gás natural. Essa água tem sua composição similar á água do mar, porém com diferentes concentrações, além de frações de óleo e graxas. Algumas das substâncias presentes nessa água podem ser tóxicas ao meio ambiente (Sais inorgânicos, metais, compostos orgânicos, radioisótopos, hidrocarbonetos dissolvidos e produtos químicos adicionados nos poços de injeção) (Patrick, G. 2015).

O tipo de processo a ser adotado para o tratamento da água produzida-AP depende dos compostos que se deseja remover. Os compostos a serem removidos, por sua vez, dependem do destino final a ser adotado para a AP tratada que pode ser descarte, injeção ou reuso (MOTTA, 2013).

O volume de água produzido também deve ser levado em conta para estabelecer o destino da água que é sempre crescente em virtude da maturação das jazidas e da utilização de processos de recuperação secundários; o conteúdo salino; a presença de óleo residual e de produtos químicos.

Esse trabalho teve como motivo, a ausência de pesquisas comparativas entres os principais métodos de tratamento da água produzida, afim de trazer benefícios ao meio ambiente e as empresas de exploração de petróleo.

Autores: Rayssa da Costa Cabral e Dheiver Francisco Santos.

leia-integra