BIBLIOTECA

Sistema simplificado para tratamento de água cinza em escala familiar

Resumo

As águas cinza podem ser consideradas como uma fonte alternativa de água. Sistemas planejados de reúso de água cinza devidamente tratada apresentam-se como uma solução favorável à conservação dos recursos hídricos. O presente trabalho se refere à verificação do desempenho de sistema simplificado de tratamento de água cinza implantado em residências rurais localizadas em região semiárida do nordeste brasileiro. Foram realizadas amostragens em três sistemas de tratamento de água cinza em escala familiar, denominados sistema bioágua familiar, cada um localizado em uma residência rural no município de Olho d’Água do Borges, RN. Os sistemas bioágua familiar investigados foram denominados de SFB a, SBF b e SBF c. As principais partes dos Bioágua Familiar são: filtro de fluxo descendente com quatro camadas; tanque de armazenamento da água cinza tratada; sistema de irrigação e área de cultivo cercada. Foram executadas sete amostragens ao longo de 207 dias, com coletas do afluente e efluente ao filtro, em cada sistema. E determinações de pH, SDT, cor aparente, DQO e DBO. As águas cinza brutas investigadas indicaram altas concentrações de DQO, DBO e cor aparente, sugerindo baixo consumo per capita de água nas residências relacionadas à área de estudo. Com base nos resultados de DQO e DBO observou-se uma qualidade satisfatória do efluente dos filtros (com operação estável) dos SBFs tratando água cinza concentrada no semiárido brasileiro.

Introdução

No âmbito de desenvolvimento sustentável, os recursos hídricos e os serviços providos pelos mesmos, contribuem para a diminuição da pobreza, para o crescimento econômico e para a sustentabilidade ambiental (UN-WATER, 2015). Desde a segurança alimentar e energética até a saúde humana e ambiental, a água contribui para o bem-estar social e crescimento inclusivo, sendo que, os desafios na interface água e desenvolvimento sustentável variam de uma região para outra (UN-WATER, 2015).

Os locais no mundo com escassez hídrica estão aumentando em função do crescimento populacional, particularmente nos grandes centros urbanos próximos a costa e às mudanças climáticas que ocasionam secas cada vez mais severas em certas áreas, incluindo as regiões mais populosas do Brasil (KUBLER; FORTIN; MOLLETA, 2015).

Diante de um cenário de escassez, a conservação de água mostra-se de suma importância. Esta, por sua vez, pode ser atribuída às ações que favoreçam a economia da água nos distintos sistemas de uso de água (sistemas públicos de abastecimento humano de água, sistemas de irrigação, sistemas prediais de água, entre outros) e, consequentemente, nos mananciais.

Para Hespanhol (2008), a conservação deve ser promovida por meio de programas de gestão adequada da demanda e de educação ambiental, e o reúso direcionado à gestão da oferta, buscando fontes alternativas de água como águas recuperadas, água de chuva e água subterrânea, complementada mediante a recarga artificial de aquíferos.

Em regiões semiáridas, a busca por meios alternativos de suprimento de água se torna ainda mais necessário, visto que essas regiões possuem baixos índices pluviométricos e elevadas taxas de evaporação, além da distribuição irregular da precipitação ao longo do ano (SCHIMIDT, MATTOS, 2014).

Compreende-se por águas cinza, as águas residuárias de cozinha, banho e/ou lavanderia, a qual geralmente não apresenta concentração significante de excreta (WHO, 2006). As águas cinza são consideradas como uma fonte alternativa de água. Assim, num contexto de uso sustentável da água, o reúso de água cinza tratada se apresenta como uma ação que contribui para a conservação dos recursos hídricos.

Águas cinza adequadamente tratadas podem ser encaminhadas para diversos usos não potáveis como, por exemplo, descargas em bacias sanitárias, lavagem de veículos, (GONÇALVES; SIMÕES; WANKE, 2010. MAY; HESPANHOL, 2008), em torneiras de jardins, na produção de concreto, entre outros, desde que não apresente riscos à saúde de seus usuários (MAY; HESPANHOL, 2008). Dentre as possibilidades, cita-se o reúso agrícola (WHO, 2006).

Quando o reúso é aplicado na agricultura, por ser uma prática que tolera águas de menor qualidade do que a indústria e o uso doméstico, há a possibilidade de preservação de águas de melhor qualidade para o abastecimento humano (ANDRADE NETO, 2014). Além disso, a agricultura representa o setor que possui maior demanda de água a nível mundial (aproximadamente 70%) (UN-WATER, 2017). O reúso possibilita o aproveitamento dos nutrientes, auxiliando no processo de desenvolvimento das culturas agrícolas e minimiza o lançamento dos efluentes em corpos d’água, que nas regiões semiáridas, já se encontram majoritariamente em estado eutrófico (BRASIL et al., 2016). Além disso, o reúso de esgotos domésticos ricos em nutrientes pode dispensar integral ou parcialmente o uso de fertilizantes comerciais (HESPANHOL, 2003). A implementação de sistemas de reúso de águas cinza requer o conhecimento da qualidade dessas águas, assim como, sua adequação aos usos previstos (MAY; HESPANHOL, 2008).

Neste sentido, o presente trabalho se refere à verificação do desempenho de sistema simplificado de tratamento de água cinza implantado em residências rurais da região semiárida do nordeste brasileiro. Tais sistemas foram desenvolvidos visando o reúso agrícola. No entanto, o presente trabalho se limite à avaliação da sua capacidade de tratamento da água cinza.

Autores: Solange Aparecida Goularte Dombroski; Amanda Bezerra de Sousa; Jucielly Karízia Medeiros da Silva; Francisco das Chagas da Costa Filho e Thales Henrique Silva Costa.