BIBLIOTECA

Evolução do consumo específico de energia elétrica nas prestadoras regionais de serviço de abastecimento de água

Resumo

As despesas com energia elétrica têm grande impacto nas despesas de exploração das prestadoras de serviço de abastecimento de água, tendo até mesmo importância no balanço energético nacional. A partir disso, o Programa de Eficiência Energética no Saneamento Ambiental foi desenvolvido para fomentar as ações de eficiência energética em todo país, além de apoiar as pesquisas para desenvolvimento de técnicas e informações necessárias nesse setor. Após mais de 10 anos de investimento na área, diversos conhecimentos e técnicas foram gerados, mas ainda não foi possível avaliar a evolução real das prestadoras de serviço de brasileiras em relação ao tema. O objetivo do trabalho foi investigar a evolução do indicador consumo específico (kwh/m³), da população atendida e da extensão de rede proporcionada por essas prestadoras de serviço de abastecimento, para entender os avanços e os problemas nas diversas regiões do país de forma temporal. Os dados foram obtidos a partir diagnósticos anuais do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS entre os anos de 2006 e 2016 (o diagnóstico mais recente foi lançado em 2018 com dados do ano de 2016). De forma geral, ainda não é possível observar um avanço uníssono em termos do indicador estudado nas companhias regionais de água estudadas. Algumas se destacam por ter conseguido diminuir o indicador ao longo dos anos, mesmo com a expansão da população atendida e da rede de abastecimento. Nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste foram observados comportamentos semelhante em relação ao indicador, onde ocorre expansão significativa das populações atendidas e da rede, mas o indicador permanece quase constante ao longo dos anos analisados.

Introdução

As despesas com energia elétrica são as maiores parcelas das despesas de exploração nas prestadoras de serviço de abastecimento de água. Em 2016 (BRASIL, 2018), as despesas com energia elétrica dos prestadores de serviço de saneamento participantes do diagnóstico feito pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS, atingiram R$ 5,41 bilhões, tendo sido consumidos 11,8 TWh, sendo a maioria desse gasto no setor de abastecimento de água (10,6 TWh).

Com isso, em 1996, a ELETROBRÁS/PROCEL começou a investir em pesquisas que buscassem diminuir o consumo de energia especificamente nos conjuntos motor-bomba (PROCEL INFO, 2006). A partir de 2003, essas instituições desenvolveram o PROCEL SANEAR – Programa de Eficiência Energética no Saneamento Ambiental, que tem como objetivo promover a eficiência energética no setor de saneamento ambiental, bem como o gerenciamento do uso da água e a diminuição de seu desperdício (BRASIL, 2011). Esse programa observa a eficiência energética em saneamento de forma mais abrangente, desde o uso racional de água e energia até a universalização dos serviços de saneamento com os menores custos para a população.

Autores: Ananda Cristina Froes Alves; Gabriela Araújo Fragoso; Jéssica Cristina Conte da Silva; Fernanda da Silva De Andrade Moreira e Fábio Paiva da Silva.