BIBLIOTECA

Água residuária de suinocultura sobre a produtividade de soja e milho segunda safra: uso e viabilidade econômica

Resumo: Existe urgência na condução de pesquisas para recomendação de doses, épocas e formas de aplicação de água residuária de suinocultura (ARS), a qual é composta de resíduos orgânicos e elementos minerais, que podem ser absorvidos pelas plantas. O objetivo do trabalho foi avaliar análise econômica e o efeito de ARS associada à fertilizante mineral nas culturas de soja e milho segunda safra em sistema de plantio direto em LATOSSOLO VERMELHO Distroférrico típico no município de Cafelândia, oeste do Paraná. De setembro de 2013 a agosto de 2014 foi conduzido um experimento com cinco doses de ARS (0, 35, 70, 135 e 140 M3-1 ano -1) e dois níveis de adubação mineral (ausência e presença). Utilizou-se o delineamento experimental de blocos casualizados com parcelas subdivididas, com quatro repetições. Nas parcelas principais alocou-se o fator ARS e nas subparcelas o fator adubação mineral. Foram avaliadas as variáveis biométricas, produtividade e determinou-se a análise econômica com as receitas líquidas das culturas. As doses de água residuária de suinocultura causaram aumento na massa de mil grãos e redução no número de nódulos das plantas de soja. Houve incremento linear no teor de umidade de grãos e na produtividade da cultura do milho em sucessão à cultura da soja, adubada com ARS. A dose calculada que apresentou os maiores índices de receitas líquidas foi o tratamento com 70 M3-1 ano -1, com R$ 3.221,43 e R$ 3.114,25 para as distâncias de 5.000 e 10.000 metros respectivamente.

Introdução: A região oeste do Paraná detém o maior plantel de suínos do estado, com alta disponibilidade de matéria prima para rações, oriundas dos cultivos de soja e milho segunda safra, com regularidade e crescimento na produtividade nos últimos anos (SMANHOTTO et al., 2010).

No cultivo de milho segunda safra, os investimentos em fertilidade do solo normalmente são inferiores quando comparados aos do milho na “safra principal”, devido à instabilidade climática (NASCIMENTO et al., 2011). Este fato implica na necessidade de adoção de práticas que melhorem a Área residuária de suinocultura…

disponibilidade de nutrientes, com custo reduzido e maior sustentabilidade (PANDOLFO; CERETTA, 2008).

Neste sentido, aplicações de água residuária de suinocultura (ARS), surgem como alternativa aos agricultores. A quantidade total de esterco produzida por um suíno varia de acordo com seu desenvolvimento ponderal, mas apresenta valores decrescentes de 8,5 a 4,9% em relação ao seu peso vivo por dia, para a faixa de 15 a 100 kg. Cada suíno, em média, produz de 7 a 8 litros de ARS por dia, ou, 0,21 a 0,24 m3 de ARS por mês. Para determinar a quantidade de ARS produzida numa criação, sugere-se utilizar os dados médios de produção de dejetos líquidos diários, considerando o número de suínos presentes, nas diferentes fases produtivas (DIESEL et al., 2002).

Todavia, este resíduo possui alta demanda bioquímica de O2 (DBO), alta concentração de N, P, Cu e Zn, e coliformes fecais (CAOVILLA et al., 2010), podendo trazer efeitos deletérios ao meio ambiente (AITA; GIACOMINI, 2008).

Por outro lado, segundo SBCS-CQFS-RS/SC (2004), a utilização continuada de adubos orgânicos pode melhorar as propriedades físicas do solo e melhorar os atributos químicos como a matéria orgânica, capacidade de troca de cátions (CTC) e teor de P.

Para auxiliar o produtor rural na tomada de decisão, a análise econômica da receita líquida das aplicações de ARS pode ser realizada de maneira simplificada, considerando os custos, distância da lagoa até a área de cultivo e demais despesas para aplicação (PANDOLFO; CERETTA, 2008; MEOTTI et al., 2012). Estudos de análise econômica são incipientes e escassos para ARS, no entanto, são de suma importância, visto que o aspecto econômico é o principal balizador para o produtor rural adotar recomendações técnicas, iniciar uma nova atividade ou abandonar algum setor produtivo (ALTMANN; OLTRAMARI, 2004).

Neste contexto, o objetivo foi avaliar o efeito de ARS associado à fertilizante mineral nas culturas de soja e milho segunda safra, em sistema de plantio direto e da variabilidade das receitas líquidas das aplicações das doses ARS entre distâncias da lagoa de estabilização anaeróbia, em LATOSSOLO VERMELHO Distroférrico típico, no oeste do Paraná.

Autores: Alfredo José Alves Neto; Maria do Carmo Lana; Leandro Rampim; Luis Antônio de Mendonça Costa; Jéssica Caroline Coppo e Alvaro Guilherme Alves.

Leia o estudo completo: agua-residuaria-de-suinocultura-sobre-a-produtividade-de-soja-e-milho-segunda-safra-uso-e-viabilidade-economica