NOTÍCIAS

Webinar: “Gerenciamento de redes de esgoto: controle de perdas, infiltrações e acessos indevidos”

Banco Mundial / 2030 Water Resources Group & Israel Trade & Investment Brasil

 

webinar

 

Apresentação:

O Banco Mundial/Water Global Practice para a América Latina e Caribe, juntamente com o 2030 Water Resources Group e o Israel Trade & Investment Brasil, decidiram realizar conjuntamente um webinar para a discussão e disseminação de estratégias, experiências e tecnologias de gerenciamento de redes de esgoto, visando apoiar a melhoria dos serviços de esgotamento sanitário pelas concessionárias de saneamento. Queremos proporcionar uma oportunidade para a apresentação de diferentes experiências e visões sobre procedimentos de controle, monitoramento e manutenção de redes de esgoto.

O gerenciamento de redes de esgotos é um dos temas a serem considerados na gestão dos serviços de saneamento básico pelas concessionárias públicas e privadas. O Banco Mundial/WGP e seu programa Global Water & Sanitation Practice (GWSP), por meio da iniciativa “Utility of the Future” (Concessionária do Futuro), propõe metodologia para avaliação do desempenho geral dos serviços prestados pelas concessionárias de serviços públicos, aplicada especificamente ao setor do saneamento.

O Governo de Israel é um dos doadores globais e promove apoio sistemático ao 2030 Water Resources Group. O país tem programas exitosos voltados ao reúso de água e ao gerenciamento inteligente de redes de água e esgoto, sendo um dos mais avançados nestes temas, justamente em função da escassez hídrica estrutural. Em 2018, o WRG e a Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo (hoje, Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente) organizaram um seminário internacional sobre reúso de efluentes domésticos tratados, ocasião em que trouxemos a São Paulo especialistas de Israel e de outros países, como Inglaterra e México, para apresentar suas experiências no assunto.

A repercussão do Novo Marco Regulatório do Saneamento no Brasil e a perspectiva de contratos de concessão com metas de desempenho e produtividade reforçam a necessidade de um maior conhecimento e controle sobre as redes existentes, criando oportunidades para a implementação de procedimentos e sistemas inteligentes de monitoramento e gerenciamento de redes de esgoto nas cidades brasileiras, a fim de detectar problemas e reduzir perdas de esgoto, danos ambientais e prejuízos materiais e financeiros.

O webinar interessa aos agentes dos setores público e privado envolvidos na regulação e prestação de serviços públicos de saneamento, que poderão ter contato com uma gama variada de iniciativas e experiências internacionais voltadas ao aumento da eficiência e à qualidade ambiental.

O tema escolhido

O controle de redes de distribuição de água é um tema já amadurecido em algumas das grandes cidades brasileiras, embora ainda haja muito a se melhorar. No entanto, falta avançar no controle das redes de coleta de esgoto doméstico em seu trajeto desde os domicílios até as estações de tratamento. As interseções indevidas com os sistemas de drenagem são uma constante, de modo que, quando as tubulações sofrem trincas e rompimentos, o esgoto já coletado frequentemente vaza, atingindo os córregos, o solo e as águas subterrâneas, ao passo que os coletores de esgoto recebem contribuições também indevidas de águas pluviais, solo, entulho e lixo.

A eficiência das estações de tratamento de esgoto (ETEs) é fortemente afetada pela variação da qualidade e da quantidade do esgoto afluente, o que resulta geralmente em custos operacionais, tratamento insuficiente e efluentes com qualidade inferior à esperada.


LEIA TAMBÉM: B&F DIAS ASSINA O MAIOR CONTRATO DE FORNECIMENTO DA HISTÓRIA DE SISTEMA DE AERAÇÃO POR AR DIFUSO DO PAÍS


As redes de esgoto nas cidades brasileiras são afetadas por várias interferências, e algumas delas estão além da governança das concessionárias. A gestão ineficaz do solo urbano, o alto grau de informalidade urbana e a falta de fiscalização das obras públicas e particulares frequentemente resultam em danos, vazamentos e acesso não autorizado às tubulações. Os procedimentos de manutenção das redes ainda são realizados de forma não sistemática, artesanal e ineficiente, resultando em um descompasso entre o capital investido e os resultados efetivos em termos de melhoria da qualidade dos corpos d’água. A detecção de infiltrações e contribuições indevidas, reparos e medidas preventivas são parte de uma cultura de manutenção que deve ser largamente incorporada pelas empresas de saneamento.

A experiência latino-americana mostra que os serviços de saneamento tendem a priorizar o enfrentamento das demandas por água potável, com lamentável detrimento da gestão do esgoto. Ao mesmo tempo, investimentos em coleta e tratamento de esgoto tendem a ser fortemente focados em obras de infraestrutura, sendo que seus resultados por vezes são frustrantes. Para além de recursos financeiros, é preciso discutir e estabelecer procedimentos de controle e manutenção preventiva, regulamentos adequados e modelos de financiamento e de negócio.

Prover gestão e manutenção adequada dos ativos, de modo a garantir a eficiência dos investimentos já realizados em infraestrutura sanitária, é um passo essencial para as concessionárias ganharem em sustentabilidade. A busca pela performance da infraestrutura instalada, de forma a reduzir ou prorrogar a necessidade de novas obras civis, é um dos passos iniciais para se incorporar os princípios da economia circular na gestão empresarial.

A introdução da forma de contratação por performance, bem como a aquisição de serviços de dados (“data as a service”, no lugar da compra de equipamentos próprios de monitoramento e da contratação de pessoal técnico), são exemplos ainda pouco comuns entre nós, que favorecem a escolha e o gerenciamento de tecnologias apropriadas.

O webinar

O webinar pretende oferecer uma primeira abordagem ao tema e um panorama das necessidades de articulação entre modelos de negócio, tecnologias e financiamento. A continuidade e o aprofundamento por meio de outros eventos deverão ser definidos com base na repercussão e questões a serem levantadas neste primeiro webinar, que avaliaremos por meio de uma pesquisa de opinião junto aos inscritos, que poderão indicar direções para avançar.

Os palestrantes farão suas apresentações em inglês, espanhol e português, e será providenciada tradução simultânea. Apesar do alvo ser especialmente a audiência brasileira, a tradução simultânea permitirá atrair interessados de outros países da América Latina e Caribe.

Especialistas envolvidos na iniciativa “Utility of the Future” e outros indicados pelo Water Pratice e pelo 2030 WRG, bem como potenciais parceiros e clientes do setor de saneamento, estão entre o público mais diretamente interessado nestas discussões.

Plataforma, duração e estrutura do webinar

O evento terá duração de 90 minutos.

Na abertura, os organizadores apresentarão o webinar como parte da política de disseminação de conhecimento e apoio ao desenvolvimento sustentável da região. O Banco Mundial/Water Practice e o Israel Trade & Investment Brasil terão 5 minutos para abertura, cada, totalizando 10 minutos.

O moderador Eduardo Pacheco, Diretor do Portal do Saneamento Básico e do Portal Tratamento de Água introduzirá o tema em 5 minutos.

Na sequência, cada palestrante terá 15 minutos (4 palestrantes = 60 minutos).

Os 25 minutos restantes serão utilizados pelo moderador para fazer perguntas aos palestrantes, as quais poderão ser propostas por ele mesmo ou pela audiência (via chat).

Temas e palestrantes:

  1. A iniciativa “Utility of the Future”: uma metodologia para avaliação da performance das concessionárias de saneamento
    • Palestrante: Gustavo Saltiel – World Bank/WGP LAC
  2. Soluções remotas para gerenciamento e monitoramento de redes de esgoto: por que e como preparar projetos abrangentes de redução de perdas
    • Palestrante: Profa. Hadas Mamane – Universidade de Tel Aviv, especializada em meio ambiente e em gestão de sistemas de saneamento
  3. A experiência da concessionária
    • Palestrante: Nuno Brôco – Águas de Portugal, uma parceira do programa Utility of the Future
  4. Desafios tecnológicos: a experiência de um provedor de tecnologias de monitoramento remoto de redes de água e esgoto
    • Palestrante: Blanca Antizar – Isle Utilities, empresa que presta consultoria para soluções de monitoramento de redes

Data e horário :  7 de outubro de 2020, das 10 às 11:30 A.M. Horário de Brasília.

Realização:

Apoio:

INSCREVA-SE

 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: SANESUL CONCLUI R$ 121 MILHÕES EM OBRAS DE SANEAMENTO EM DOURADOS/MS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: PRIMEIRO LEILÃO DE SANEAMENTO APÓS NOVO MARCO LEGAL REFORÇA CONFIANÇA DO SETOR PRIVADO PARA INVESTIR NO PAÍS