NOTÍCIAS

Tratamento de Efluentes para Indústria de Papel Reciclado

A água é necessária em muitas etapas do processo de produção de papel reciclado

 

paques

 

Os efluentes gerados nesse processo variam muito em sua concentração e composição (por exemplo DQO, DBO, sólidos suspensos, cálcio, sulfatos, condutividade, pH e temperatura). Devido a regras e regulamentação mais restritas em relação à captação/consumo de água fresca e descarte de efluentes, a administração eficiente da água tornou-se essencial para a indústria.

Mundialmente, mais de 300 instalações da Paques tratam efluentes do ramo de papel reciclado. Essa experiência, combinada com décadas de especialização em purificação biológica, separação física e filtração, capacitam a Paques a projetar, construir e entregar um processo de tratamento personalizado e de baixo custo operacional. O reator anaeróbio BIOPAQ®IC, de alta taxa, é o mais popular e dinâmico para esse segmento.

A tecnologia Paques resulta em baixo consumo de energia e mínima produção de lodo, mantendo os custos operacionais baixos. A produção de biogás a partir do reator anaeróbio torna-se cada vez mais importante como uma fonte de energia renovável, possibilitando a utilização nas caldeiras e principalmente na geração de energia elétrica em motores estacionários/turbinas.

BIOPAQ®IC – Tratamento de Efluentes Industriais

O BIOPAQ®IC (Circulação interna) é um econômico sistema de tratamento anaeróbio (sem ar) para efluentes gerados no processo industrial, que permite  remover mais de 80% da poluição orgânica (DBO) e que complementado por um pequeno pos-tratamento aeróbio, garantir o cumprimento dos limites de descarga exigidos pelos órgãos de controle ambiental além de propiciar a produção do biogás energético e permitir a recirculação do efluente tratado ao processo industrial (com concentrações de matéria orgânica 95% menores, 50% do cálcio e da condutividade).

O reator BIOPAQ®IC foi desenvolvido pela Paques, em cooperação com universidades, institutos de pesquisa e clientes. Pesquisa fundamental e aplicada sobre aspectos biológicos, físicos e mecânicos do sistema resultou em uma ampla variedade de ICs, que permite a Paques oferecer a cada consumidor um tratamento de águas residuais feito sob medida, que alcança todas as exigências dos clientes.

A Paques desenvolveu e patenteou um Reator IC específico para a indústria de papel reciclado. Ele tem um sistema diferenciado de distribuição dos efluentes, remoção de sólidos para lidar com as dificuldades operacionais advindas da presença de concentrações elevadas de Cálcio, típica nestes processos.

 

paques

 

As indústrias de papel reciclado concentram mais de 75% de nossas referências – Plantas Anaeróbias – na área de Celulose e Papel.

  • A biodegradabilidade desse efluente é geralmente muito boa.
  • A principal razão para essa boa biodegradabilidade é a presença de amido dissolvido do papel usado.
  • O amido, uma forma de açúcar, é facilmente biodegradável, entretanto, potencialmente causa outros problemas:
    • A acidificação do amido causa um cheiro desagradável de ácidos orgânicos voláteis. Se a concentração de DQO for realmente alta (por exemplo, quando o uso de água fresca é minimizado), também o papel produzido pode obter o cheiro desagradável desses ácidos.
    • A acidificação do amido faz com que o carbonato de cálcio se dissolva. No tratamento de efluentes, o processo é revertido e a precipitação de carbonato de cálcio pode causar sérios problemas.
    • Para limitar o crescimento biológico, biocidas são dosados na fábrica. Isso pode afetar negativamente o tratamento biológico de efluentes.

As principais características do efluente da fábrica de papel reciclado são:

  1. A quantidade de água fresca utilizada (balanço hídrico /fechamento do circuito interno) é o principal denominador para determinar a concentração de DQO, DBO e demais contaminantes Cálcio, SST, Sulfato, Condutividade, pH, Temperatura.
  2. A concentração de cálcio é elevada porque vem presente nos resíduos de papel e é liberado após a acidificação da matéria orgânica (DQO).
  3. Os SST no circuito de água normalmente são altos (fibras de papel) e precisam ser reduzidos em flotadores, sedimentadores ou filtros. As fibras são recicladas ao processo produtivo e o clarificado parcialmente recirculado ao processo e/ou enviado para a estação de tratamento de efluentes.
  4. A concentração de Sulfato pode ser alta e deve ser conhecida para determinar a eficiência do tratamento.
  5. Biocidas remanescentes podem estar presentes no efluente.

LEIA TAMBÉM: TRATAMENTO DE EFLUENTES PARA INDÚSTRIA DE CERVEJAS E BEBIDAS


Segundo Paulo Roberto de Lamo, do departamento de Engenharia de Aplicação e Vendas da Paques LAM, “Limitações nas outorgas de uso de água fresca aliadas às necessidades de produção de papel com melhor qualidade, encaminharão as fábricas de papel a buscar soluções viáveis para o tratamento e reuso de efluentes.“.

Conheça as vantagens do sistema biológico para tratamento de efluentes da Paques nas indústrias de papel reciclado:

  • Reúso do efluente tratado na produção (com menos matéria orgânica e condutividade)
  • Consumo de energia elétrica (80% menor)
  • Geração de lodo excedente (80% menor)
  • Consumo de nutrientes (70% menor)
  • Área ocupada (60% menor)
  • Biogás para geração de energia (elétrica – 25 kW/ton papel produzida ou vapor)
  • Redução do uso de químicos no processo (biocidas, etc).
  • Menos corrosão dentro da fábrica e menos paradas na máquina de papel.
  • Papel sem cheiro e sem stickies.
  • Tecnologia comprovada (300 referências)

Referência

apaques

Cliente: Cartonifício Valinhos

Vazão: 1.200 m3/dia

Volume do Reator Anaeróbio: 300 m3

Carga orgânica aplicada: 6.000 kg DQO/d

DBO saída (anaeróbio + aeróbio): 50 mg/1


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: PROGRAMA ÁGUAS BRASILEIRAS VAI REVITALIZAR BACIAS HIDROGRÁFICAS DO PAÍS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: SEMINÁRIO SOBRE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO SEMIÁRIDO