NOTÍCIAS

Mapeamento de águas subterrâneas na Holanda

“Charuto” eletromagnético faz o mapeamento de águas subterrâneas (doce, salobra e salgada) na província de Zeeland

 

mapeamento-de-aguas-subterraneas-img01-0517

 

A província holandesa de Zeeland publicou um mapa online mostrando a presença de água subterrânea doce, salobra e salgada. Os dados foram coletados por um “charuto” eletromagnético pendurado em um helicóptero.

O mapa mostra os volumes, profundidade e localização da água subterrânea doce, fornecendo informações importantes para fazendeiros locais e autoridades do setor de água.

A publicação é parte do projeto de pesquisa “fresh salt groundwater distribution by helicopter electromagnetic survey” (Freshem), conduzido pelos institutos de pesquisa Deltares e TNO da Holanda e Bundesanstalt für Geowissenschaften und Rohstoffe (BGR) da Alemanha.

Dados utilizáveis

 

mapeamento-de-aguas-subterraneas-img02-0517
Profundidade da água salgada subterrânea (1.500 mg/l) na província de Zeeland. Em vermelho (menos de 2,5 m), em amarelo (10 m) e em azul (mais de 40 m).

 

Juntamente com o TNO e BGR, o instituto Deltares desenvolveu um método para converter medições eletromagnéticas em dados utilizáveis.

“Combinando os dados de água salgada – água doce com o amplo conhecimento dos sistemas de águas subterrâneas, podemos fazer previsões sobre mudança climática e elevação do nível dos mares”, disse Esther van Baaren, pesquisadora do Deltares.

“Como resultado, somos capazes de fazer previsões sobre a disponibilidade de água doce no futuro”, prosseguiu van Baaren.

Medições via helicóptero

 

mapeamento-de-aguas-subterraneas-img03-0517

 

Um helicóptero do BGR voou sobre a província por diversas vezes, carregando transmissores e receptores eletromagnéticos alojados em um tubo, o pássaro.

O pássaro é rebocado por um cabo de 45 m de comprimento a cerca de 30-40 m acima do solo.

Transmitindo sinais bipolares, o pássaro pode determiner os limites entre a água subterrânea doce e salgada até uma profundidade de 100 m.

Disponibilidade desequilibrada

Muitas áreas na província de Zeeland têm poucas opções para suprir a sua própria água fresca para uso doméstico e na agricultura. Ao longo do ano como um todo, há mais precipitação do que evaporação, porém, a situação se inverte no verão, quando simplesmente não há água disponível suficiente.

Esse desequilíbrio está sendo exacerbado pela mudança climática.

“A longo prazo, isso vai causar problemas para a disponibilidade de água doce em Zeeland”, prevê Ben de Reu, representante para água da província de Zeeland. “Esse é o motivo pelo qual a província estimula inúmeras iniciativas para armazenamento e uso mais eficiente da água doce”.

O mapeamento doce-salgada também ajuda os fazendeiros de Zeeland a armazenar água doce no subsolo, quando a precipitação é abundante, em locais que foram identificados como promissores pelas medições.

Fazendeiros e gestores da natureza agora sabem aonde o subsolo é salino e quão salino ele é exatamente.

Caçada mundial à água doce

Neste mês um projeto similar vai começar na Bélgica em nome de Vlaamse Milieumaatschappij dentro do projeto europeu Topsoil. O objetivo é identificar localidades agrícolas promissoras para o armazenamento de água doce no subsolo.

Na caçada pela escassa água doce, o Deltares está usando uma tecnologia similar para mapear a distribuição doce-salobra-salgada abaixo da superfície no Vietnã. Uma prospecção com WalkTEM (equipamento eletromagnético de prospecção) ensinou que a distribuição é extremamente heterogênea: a grandes profundidades, de no mínimo 200 m, a água doce subterrânea pode ser encontrada próximo da água salgada.

O Deltares trabalha em conjunto com NWO, Utrecht University, the Danish Aarhus University, TNO e The Vietnamese Division for Water Resources Planning and Investigation for the South of Vietnam.

Fonte: Dutch Water Sector, adaptado por Portal Tratamento de Água – www.tratamentodeagua.com.br