NOTÍCIAS

Legionella Encontrada em Tubos de Escolas

O crescimento da bactéria que causa a doença dos legionários é apenas um risco de sistemas de água estagnados

fluence

Desconectar bebedouros e pias de vez em quando para garantir que os alunos estejam cumprindo com o distanciamento social pode resultar na estagnação da água nos tubos.

Enquanto o mundo lutava com a pandemia da COVID-19, muitos edifícios escolares ficaram inativos por muito mais meses do que o normal. O retorno a esses edifícios está descobrindo outro risco potencial à saúde. Na verdade, os isolamentos da COVID-19 podem ter ajudado a promover o crescimento de bactérias perigosas.

No início deste ano, estudos levantaram preocupações de que a água parada em encanamentos e sistemas de água em edifícios desocupados pela pandemia da COVID-19 levaria a riscos para a saúde. Essas preocupações parecem ter sido justificadas.

Autoridades de Ohio anunciaram recentemente que a Legionella, a bactéria que causa a doença mortal dos legionários, ou Legionelose, foi encontrada em cinco sistemas de água escolar. Pouco depois, as autoridades da Pensilvânia anunciaram a descoberta do micróbio em quatro de suas escolas. Nove testes positivos para Legionella em uma semana são muito mais do que o esperado em condições normais, e o número de escolas com teste positivo para Legionella aumentou desde os relatórios iniciais.

LEIA TAMBÉM: DAF Trata Efluentes Lácteos Para Descarte Municipal

Propagação de Legionella

Legionelose é um tipo de pneumonia com o nome de seu primeiro surto conhecido entre indivíduos que participaram da Convenção da Legião Americana em 1976. O sistema de ar-condicionado do hotel da Filadélfia que hospeda a convenção foi identificado como a fonte da bactéria. Mas a Legionella também é conhecida por crescer em filtros, aquecedores, tanques, tubos e torres de resfriamento.

A doença pode ser contraída quando água parada contendo Legionella é aerossolizada e inalada, por exemplo, durante banhos, lavagem das mãos e descarga de vasos sanitários – ironicamente, algumas das mesmas atividades que são recomendadas para prevenir a propagação da COVID-19.

Felizmente, como acontece com o COVID-19, a maioria das crianças não parece estar em alto risco, mas estudantes mais velhos, adultos e aqueles com sistema imunológico enfraquecido podem ser mais vulneráveis. As crianças correm o risco de contrair uma doença menos perigosa, a febre de Pontiac, causada pela Legionella, mas a extensão do risco é desconhecida. Para complicar as coisas, a COVID-19 e a doença do legionário compartilham muitos sintomas, levando ao risco de um diagnóstico incorreto.

Isolamento e Crescimento da Legionella

Os isolamentos da COVID-19 desde março deixaram muitos edifícios vazios, o que pode levar à estagnação da água em seus tubos e sistemas de água. É o ambiente perfeito para Legionella e outras bactérias. A maioria das escolas não tem planos de gestão de água e, para piorar as coisas, algumas precauções da COVID-19 podem estimular a Legionella.

Desconectar bebedouros ou pias de vez em quando para garantir que os alunos estão cumprindo com o distanciamento social pode resultar na estagnação da água nos tubos e, portanto, se tornar um vetor de doenças piores do que a COVID-19. Alguns prédios escolares podem ter até 300 saídas de água.

Descarte de Água em Tubos

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos emitiram instruções sobre a reabertura de edifícios. Lavar regularmente os tubos nas escolas com água clorada é geralmente uma maneira eficaz de impedir o crescimento de bactérias, mas os níveis de cloro nos canos podem cair a zero em apenas 72 horas devido ao contato com compostos orgânicos e inorgânicos nos sistemas de água.

Os protocolos devem ser observados regularmente e todos os acessórios devem ser incluídos; no entanto, mesmo uma escola que vinha sendo higienizada regularmente desde julho descobriu Legionella em seus encanamentos e foi forçada a impactar seu sistema de água com uma concentração maior de cloro. A Legionella pode até sobreviver na ausência de água parada dentro dos biofilmes que tendem a se formar e aderir ao fundo dos tubos de água quente e fria.

Não está claro até que ponto a contaminação por Legionella realmente aumentou devido a interrupções de serviço. Prédios escolares já foram fechados para as férias de verão, e um zelador de uma das escolas testadas em Ohio pode ter morrido de doença do legionário um ano antes de a pandemia da COVID-19 chegar aos Estados Unidos.

Testes em escolas de Ohio foram influenciados por avisos de problemas de água estagnada após o isolamento envolvendo não apenas bactérias, mas também acúmulo de chumbo e cobre. Portanto, os relatórios de legionelose vêm com a advertência de que o aumento da incidência pode, até certo ponto desconhecido, ser o resultado do aumento da detecção.

Fonte: Fluence.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: Os 7 maiores perigos para as microbacias no brasil e suas consequências