NOTÍCIAS

Lagoa é interditada após morte de peixes na Serra/ES

Moradores preparam protesto para sábado e prefeitura torna a Lagoa de Carapebus imprópria para banho. A praia está liberada

 

peixes

Imagem Ilustrativa

 

Após uma grande quantidade de peixes ser encontrada morta na Lagoa de Carapebus, na Serra, a prefeitura do município interditou o local e o classificou como impróprio para banho.

Morador da região há 30 anos, o técnico ambiental e ambientalista Iberê Sassi acredita que o esgoto despejado no local pode ter causado a mortandade dos peixes.

“O problema é que há um despejo de esgoto in natura na lagoa, e isso vem se agravando nos últimos 15 anos”, disse Iberê. Depois de serem encontrados mortos no domingo, os peixes foram retirados na segunda-feira.

Com a reclamação de Iberê e de outros moradores da região, está sendo preparada uma manifestação para o próximo sábado.

“Haverá um abraço simbólico na lagoa, em Balneário de Carapebus, neste sábado, às 16 horas. Já tem mais de 100 inscritos e, a cada hora, aumenta o número de pessoas”, disse Iberê Sassi. Segundo ele, o mau cheiro no local ainda é forte.

Lançamento de esgoto não tratado

Para a bióloga Giselli Martins de Almeida Freesz, o lançamento de esgoto não tratado pode causar a morte de peixes em lagoas.

No entanto, outros fatores também podem ter influenciado a mortandade dos animais na Lagoa de Carapebus, disse Giselli.

Segundo ela, a falta de chuva e a alta temperatura da estação também podem ter contribuído para a morte dos peixes.


LEIA TAMBÉM: IPT E CETESB ASSINAM ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA


“Os dejetos vindos de esgotos não tratados podem acabar ocasionando a morte de peixes que vivem nas lagoas. Mesmo assim, tem de ser levado em consideração que a região vive um período de estiagem, ou seja, não chove há um certo tempo. Isso, somado às altas temperaturas que estamos vivendo agora no verão, pode ter contribuído para essas mortes”, detalhou.

De acordo com a bióloga, a alta temperatura e a baixa profundidade da lagoa fazem com que a temperatura da água suba, minando o oxigênio, que é necessário para que os peixes consigam respirar.

“Com a água em uma temperatura mais elevada, e com uma profundidade mais rasa, os peixes acabam consumindo oxigênio mais rápido, e como o oxigênio fica mais escasso, os peixes acabam morrendo”, explicou Giselli.

Apesar da interdição da lagoa, a praia de Carapebus não precisou ser interditada, segundo a Prefeitura da Serra. De acordo com a análise semanal, a praia está própria para banho.

Ações contra lançamento de esgoto clandestino

Com a morte de peixes e diante de denúncias de que haveria lançamento de esgoto clandestino sem tratamento na Lagoa de Carapebus, na Serra, a prefeitura do município e a Cesan, empresa que faz o serviço de saneamento no Estado, se manifestaram sobre o episódio, ocorrido no último domingo.

De acordo com a Prefeitura da Serra, foi marcada uma reunião junto ao Ministério Público, na tarde de ontem, para tratar do lançamento de esgotos clandestinos na Lagoa de Carapebus.

Por nota, a prefeitura informou que a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente iniciou as conversas com o órgão. No entanto, devido à complexidade do assunto, a definição de possíveis soluções para o problema será tema de uma nova reunião na primeira semana de fevereiro.

A Cesan, também por meio de nota, informou que “o esgoto coletado pela Cesan e pela parceira público-privada Ambiental Serra é tratado e devolvido limpo para o ambiente. Nenhuma estação de tratamento das empresas lança efluente na Lagoa de Carapebus”.

Em relação à morte dos peixes, a Cesan disse que, assim que soube, técnicos da Cesan e da Ambiental Serra coletaram amostras da água da lagoa para análise. O resultado está previsto para sair em 15 dias.

Fonte: Tribuna Online.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: SANESUL ENTREGA RESERVATÓRIO DE 4 MILHÕES DE LITROS DE ÁGUA EM TRÊS LAGOAS/MS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: SABESP INVESTE R$ 230 MILHÕES PARA LEVAR ÁGUA E ESGOTO A 20 MIL MORADORES DE ITAPEVI/SP