NOTÍCIAS

Economia circular e planejamento hidrológico

Economia circular e planejamento hidrológico – Quando se fala em economia circular no setor da água, há uma tendência de simplificar e identificar a reutilização de águas residuais urbanas como a única forma de transferir os postulados da circularidade para este setor. No entanto, sua abordagem é mais ampla e inclui, de acordo com a Estratégia de Economia Circular espanhola “Circular Espanha 2030”, outros aspectos como eficiência no uso do recurso, prevenção da poluição ou recuperação de materiais nos diferentes processos que integram o ciclo da água .

Extrapolando o princípio da hierarquia de resíduos estabelecido na Diretiva-Quadro de Resíduos da UE para o setor da água, a promoção da economia circular no ciclo da água passaria, em primeiro lugar, pela prevenção,  reutilização da água de reuso e a recuperação de energia e de resíduos

Economia circular e planejamento hidrológico

Imagem ilustrativa do Canva

Por prevenção entenda-se como reduzir a poluição das massas de água e dos ecossistemas associados, a poupança e a utilização eficiente de água. Nomeadamente através da recuperação de materiais sob a forma de nutrientes como o azoto, o fósforo e o magnésio nos processos de desidratação das lamas digeridas das estações de tratamento de águas residuais para possível uso posterior como fertilizante

A concretização dos objetivos de promoção da economia circular no ciclo da água depende, em grande medida, do desenvolvimento de ações anteriores em matéria de prevenção da poluição e, em particular, de saneamento e depuração. Sem estas medidas, a reutilização de águas residuais e a recuperação de materiais associados a estes processos não podem ser desenvolvidas.

Da mesma forma, a reutilização de águas residuais não só contribui para promover a circularidade no ciclo da água, mas também para reforçar a segurança hídrica no conjunto dos sistemas de abastecimento, pelo que é fundamental que estas ações sejam coerentes com os objetivos do planeamento hidrológico e não comprometam a atenção de outras demandas previstas no referido planejamento.

A reutilização de águas residuais contribui para reforçar a segurança hídrica em todos os sistemas de abastecimento.


 

LEIA TAMBÉM: BIOECONOMIA CIRCULAR: ESTUDO SUGERE CONVERTER RESÍDUOS AGROALIMENTARES EM MATÉRIA-PRIMA


 

Por tudo isso, se é importante entender o escopo mais amplo da promoção da economia circular no setor da água, é ainda mais importante garantir que os objetivos da circularidade no ciclo da água estejam totalmente alinhados com os objetivos do sistema hidrológico planejado, conforme definido no artigo 40 do Texto Consolidado da Lei de Águas, a saber: alcançar o bom estado e proteção adequada do domínio público hidráulico e das águas sujeitas a esta lei, a satisfação das demandas de água, o equilíbrio e harmonização do desenvolvimento regional e setorial, aumentando a disponibilidade do recurso, protegendo sua qualidade, economizando seu uso e racionalizando seus usos em harmonia com o meio ambiente e outros recursos naturais

Para atingir estes objetivos, as ações que são lançadas pelas diferentes Administrações Públicas, e muito particularmente pelas Administrações Regionais e Locais em relação ao ciclo urbano da água, devem ser coerentes e coordenadas e alinhadas com os Programas de Medidas (PdM) dos planos hidrológicos, uma vez que é através destes programas que deve ser assegurado o financiamento suficiente para a sua execução, a identificação das entidades responsáveis ​​pela sua execução e a devida coordenação com os objetivos do planeamento hidrológico.

Consequentemente, essas ações devem ser integradas ao PdM supracitado e devem fazê-lo seguindo a estrutura do PdM de cada plano hidrológico, além de levar em consideração os critérios de priorização de medidas definidos no Plano Nacional de depuração, saneamento, eficiência, economia e reaproveitamento de julho de 2021 (Plano DSEAR).

Garantir uma integração coordenada da circularidade na gestão dos recursos hídricos com o planejamento é essencial para que a promoção da economia circular também contribua para a consecução dos objetivos mais amplos do planejamento hidrológico.

Fonte: iagua
Adaptado para Portal Tratamento de Água
Traduzido por Jaqueline Morinelli


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: COPASA FARÁ APORTES DE R$ 7,4 BI ATÉ 2026

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: ENERGIA RENOVÁVEL: AGÊNCIA INTERNACIONAL AFIRMA NECESSIDADE DE INVESTIR 5,7 TRILHÕES DE DÓLARES PARA REALIZAR TRANSIÇÃO ENERGÉTICA NOS PRÓXIMOS ANOS