Notícias

Substituição do processo de desinfecção pela tecnologia Oxamine® na estação de tratamento de água da Aperam

Publicado em 13/12/2019 às 15:30:46

A Aperam recebe em média 1800 m3/h de água bruta (sem tratamento prévio) do rio Piracicaba.

desinfeccao-oxamine-estacao-tratamento-agua

Essa água passa por um processo de clarificação e é dividida em duas correntes: distribuição e água industrial (média de 1400 m3/h) e água potável (média de 400 m3/h).

Desde o início da operação da Estação de Tratamento de Água, o cloro gasoso foi utilizado no processo de desinfecção da água. Esse sistema era composto de cilindros de cloro de 900 kg, sistema de dosagem e mistura com água, detector de vazamento.

A operação consistia em receber o gás de cilindros, que por sua vez eram misturados com água, e o controle da dosagem que era feito através da medição do residual de cloro livre na água clarificada e potável.

Os riscos operacionais eram minimizados através de manutenção preventiva de equipamentos e treinamentos operacionais para o caso de alguma anormalidade no sistema.

Solução Proposta

A Buckman realizou vários estudos para avaliar qual produto poderia substituir o cloro gasoso, mantendo a qualidade da água potável da usina e diminuindo os riscos operacionais. Após realização do teste de experiência e performance da tecnologia Oxamine®, os resultados foram avaliados e demonstraram redução no risco envolvido na aplicação de cloro gás, sendo assim a Tecnologia Oxamine® foi o produto escolhido para fazer o controle microbiológico da água clarificada e potável.

A tecnologia Oxamine® se baseia na combinação química de dois ativos químicos produzindo a monocloramina (MCA) que é efetiva como biocida e no controle de biofilme. A MCA é um biocida oxidante com um espectro de ação mais específico que o cloro. A estabilidade química deste biocida está diretamente ligada às condições de mistura, sendo imprescindível a utilização de equipamentos específicos garantindo a segurança operacional.

A combinação desta mistura não possui cloro nem adição de cloretos no sistema, pois um oxidante forte é transformado em um oxidante fraco que não reage com matérias orgânicas. Desta forma o tratamento age fortemente com atividade microbiológica não trazendo impacto para o tratamento de efluentes.


LEIA TAMBÉM: OXAMINE® DA BUCKMAN: A MELHOR PROTEÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA.


A tecnologia Oxamine® é 100% mineral e não produz toxinas orgânicas e possui baixa reatividade, trazendo ao mercado uma tecnologia verde.

Os testes de avaliação e performance da tecnologia Oxamine demonstraram uma elevada redução no risco envolvido na aplicação de cloro gás, redução de consumo de biocidas não oxidantes utilizado em outros sistemas dentro da planta industrial, diminuição da taxa de corrosão da água distribuída pela ETA, outros.

O Oxamine® foi aplicado na água bruta a uma taxa de 0,5 ppm, uma vez por dia, por 1 hora. Na saída da ETA Clarificada, é dosado continuamente de 0,2 a 1,0 ppm de Oxamine®. Na saída da ETA Potável, é dosado  o Oxamine® continuamente atendendo os parâmetros da Portaria 5, do Ministério da saúde, como indica a figura:

desinfeccao-oxamine-estacao-tratamento-agua

Resultados

A mudança permitiu redução do consumo de biocida nos sistemas abastecidos diretamente por água industrial em aproximadamente 40%. Além disso, observou-se aumento no residual de cloro nos pontos mais distantes da rede de distribuição (fim de linha):

desinfeccao-oxamine-estacao-tratamento-agua

A redução dos níveis de cloro livre na água, reduziu o potencial de corrosão, o que aumenta o tempo de vida dos equipamentos:

desinfeccao-oxamine-estacao-tratamento-agua

O controle automático das taxas de dosagem e residuais também representou grande avanço tecnológico. Com ele, a condição do tratamento e resultados foram muito mais estáveis.

Conclusões

A mudança do sistema de desinfecção a partir de cloro gasoso para a Tecnologia Oxamine® permitiu, entre outras vantagens:

  • Diminuir o manuseio de químicos, gerando melhoria na segurança e saúde da equipe de operadores da ETA e demais envolvidos;
  • Anular o risco de vazamento de gases, como o cloro gás;
  • Aumentar a segurança no descarregamento dos produtos;
  • Automatizar o controle das taxas de dosagem e residuais, promovendo condição estável do tratamento e resultados;
  • Aumentar o residual de cloro nos pontos mais distantes da rede de distribuição (fim de linha);
  • Reduzir o consumo de biocida nos sistemas abastecidos diretamente por água industrial em aproximadamente 40%;
  • Reduzir os níveis de cloro livre na água, diminuindo o potencial de corrosão e aumentando o tempo de vida dos equipamentos;
  • Reduzir a formação de AOX na água potável;
  • Melhorar no controle microbiológico de todo sistema.

Conheça as soluções da Buckman


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *