NOTÍCIAS

Aprovada resolução proposta pela Corsan que contribui para reduzir impacto ambiental

Resolução proposta pela Corsan e aprovada pelo Consema contribui para reduzir impacto ambiental.

Pioneira no Brasil, resolução proposta pela Corsan e recentemente publicada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) definiu critérios e procedimentos para o uso agrícola de lodos gerados em estações de tratamento de água (LETAs) e seus produtos derivados

Pioneira no Brasil, resolução proposta pela Corsan e recentemente publicada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) definiu critérios e procedimentos para o uso agrícola de lodos gerados em estações de tratamento de água (LETAs) e seus produtos derivados.

A decisão foi construída a partir de minuta proposta no ano passado pela Companhia, que foi produto de pesquisa realizada numa parceria entre a Corsan e a Embrapa.

Após complementações sugeridas pelos integrantes das Câmaras Técnicas e pelos conselheiros do Consema, a resolução foi aprovada em maio. Está publicada no Diário Oficial do Estado (RS) do dia 15 de Junho.

Conforme a Diretora de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Corsan, Liliani Cafruni, “a resolução apresenta uma alternativa viável e ambientalmente sustentável para a disposição final dos resíduos do gerados no processo de tratamento de água e é um importante passo para a economia circular no Estado. Fruto de uma longa pesquisa, é pioneira no Brasil, podendo servir de referência para a regulamentação em outros estados ou até em nível nacional”.


 

LEIA TAMBÉM: B&F DIAS LANÇA SOLUÇÃO INOVADORA PARA SECAGEM DE LODO NO BRASIL


Saiba mais

O destino dos LETAs tem sido um dos maiores desafios do setor de saneamento no Brasil. De acordo com o Plano Nacional de Resíduos Sólidos (Planares), publicado recentemente, foram gerados em 2015 mais de 78 milhões de toneladas de LETA, em base seca.

Em diversas ETAs do país, o lodo gerado retorna para os mananciais por não terem uma etapa de tratamento, que consiste basicamente na remoção do excesso de água desse material. E quando há essa etapa de tratamento, o destino do lodo acabam sendo, em geral, os aterros sanitários.

Para encontrar alternativas nobres e ambientalmente sustentáveis para os lodos de ETAs e ETEs, a Corsan firmou em 2015 um termo de cooperação com a Embrapa Clima Temperado, intitulado “Pesquisa e desenvolvimento do potencial do uso agrícola de lodos de estações de tratamento de água e de esgoto”.

Após cinco anos de pesquisa e diversos experimentos, incluindo experimento de campo, a Embrapa concluiu que o lodo de ETA pode ser disposto no solo, inclusive para uso agrícola, se atendidos alguns critérios. Para que essa alternativa pudesse ser aplicável ainda era necessária a regulação de tal atividade, algo ainda não existente no Brasil e que foi contemplado pela resolução do Consema.

Confira os critérios para aplicação do LETA em solo agrícola e acesse a resolução na íntegra: Resolução CONSEMA 461/2022

Fonte: Corsan


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: EMBRAPA MAPEIA SEQUESTRO DE CARBONO NO AGRONEGÓCIO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: VACINA CONTRA SALMONELA USADA EM AVES NO BRASIL FEZ SURGIREM BACTÉRIAS RESISTENTES A ANTIBIÓTICOS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
ALADYR pede ação imediata sobre mudança climática após desastre no Rio Grande do Sul

ALADYR pede ação imediata sobre mudança climática após desastre no Rio Grande do Sul

Diante do impacto das chuvas no Rio Grande do Sul, que afetaram centenas de milhares, a ALADYR pede aos governos e entidades privadas que acelerem a implementação de políticas de adaptação e mitigação do climática. A organização destaca a importância de atualizar a legislação, promover o reúso de água e adotar inovações como o modelo de “cidade esponja” para enfrentar efetivamente esses desafios iminentes

Continuar lendo »