NOTÍCIAS

Aprovada resolução proposta pela Corsan que contribui para reduzir impacto ambiental

Resolução proposta pela Corsan e aprovada pelo Consema contribui para reduzir impacto ambiental.

Pioneira no Brasil, resolução proposta pela Corsan e recentemente publicada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) definiu critérios e procedimentos para o uso agrícola de lodos gerados em estações de tratamento de água (LETAs) e seus produtos derivados

Pioneira no Brasil, resolução proposta pela Corsan e recentemente publicada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) definiu critérios e procedimentos para o uso agrícola de lodos gerados em estações de tratamento de água (LETAs) e seus produtos derivados.

A decisão foi construída a partir de minuta proposta no ano passado pela Companhia, que foi produto de pesquisa realizada numa parceria entre a Corsan e a Embrapa.

Após complementações sugeridas pelos integrantes das Câmaras Técnicas e pelos conselheiros do Consema, a resolução foi aprovada em maio. Está publicada no Diário Oficial do Estado (RS) do dia 15 de Junho.

Conforme a Diretora de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Corsan, Liliani Cafruni, “a resolução apresenta uma alternativa viável e ambientalmente sustentável para a disposição final dos resíduos do gerados no processo de tratamento de água e é um importante passo para a economia circular no Estado. Fruto de uma longa pesquisa, é pioneira no Brasil, podendo servir de referência para a regulamentação em outros estados ou até em nível nacional”.


 

LEIA TAMBÉM: B&F DIAS LANÇA SOLUÇÃO INOVADORA PARA SECAGEM DE LODO NO BRASIL


Saiba mais

O destino dos LETAs tem sido um dos maiores desafios do setor de saneamento no Brasil. De acordo com o Plano Nacional de Resíduos Sólidos (Planares), publicado recentemente, foram gerados em 2015 mais de 78 milhões de toneladas de LETA, em base seca.

Em diversas ETAs do país, o lodo gerado retorna para os mananciais por não terem uma etapa de tratamento, que consiste basicamente na remoção do excesso de água desse material. E quando há essa etapa de tratamento, o destino do lodo acabam sendo, em geral, os aterros sanitários.

Para encontrar alternativas nobres e ambientalmente sustentáveis para os lodos de ETAs e ETEs, a Corsan firmou em 2015 um termo de cooperação com a Embrapa Clima Temperado, intitulado “Pesquisa e desenvolvimento do potencial do uso agrícola de lodos de estações de tratamento de água e de esgoto”.

Após cinco anos de pesquisa e diversos experimentos, incluindo experimento de campo, a Embrapa concluiu que o lodo de ETA pode ser disposto no solo, inclusive para uso agrícola, se atendidos alguns critérios. Para que essa alternativa pudesse ser aplicável ainda era necessária a regulação de tal atividade, algo ainda não existente no Brasil e que foi contemplado pela resolução do Consema.

Confira os critérios para aplicação do LETA em solo agrícola e acesse a resolução na íntegra: Resolução CONSEMA 461/2022

Fonte: Corsan


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: EMBRAPA MAPEIA SEQUESTRO DE CARBONO NO AGRONEGÓCIO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: VACINA CONTRA SALMONELA USADA EM AVES NO BRASIL FEZ SURGIREM BACTÉRIAS RESISTENTES A ANTIBIÓTICOS