Notícias

Câmara de Mauá/SP aprova concessão da SAMA para a SABESP

Publicado em 20/12/2019 às 10:59:37

A Câmara Municipal de Mauá aprovou, na última semana, o projeto de lei 342/2019, proposto pelo prefeito Atila Jacomussi (PSB), autorizando a transferência do serviço de abastecimento de água

sabesp

Na cidade da SAMA (Saneamento Básico de Mauá) – criada em 1994, na gestão de José Carlos Grecco – para a SABESP (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). As votações aconteceram em duas sessões extraordinárias no Legislativo, a primeira na quinta (12 de dezembro de 2019) e a segunda na sexta-feira (13 de dezembro de 2019).

Nas duas votações, o placar apontou que 22 dos 23 parlamentares aprovavam a medida. A única exceção foi o vereador Adelto Damasceno Gomes, o Adelto Cachorrão (Avante).

Concessão de abastecimento de água

De acordo com o projeto aprovado na casa de leis mauaense, a concessão dos serviços de abastecimento de água na cidade pela SABESP deverá ser de 40 anos. Neste período, a companhia estadual disponibilizará R$ 299,2 milhões em melhorias na rede municipal, sendo que o investimento de R$ 80 milhões deste montante será realizado de forma imediata. Além disso, a propositura prevê que:

“As dívidas do Município de Mauá e da SAMA com a SABESP até então existentes, assim reconhecidas como líquidas e certas pela justiça ou por acordo entre as partes, ficarão suspensas pela assinatura do contrato de concessão, nos termos neste previstos, e a quitação se dará pela amortização ao longo do prazo da concessão na razão de 2,5% da dívida consolidada para cada ano de contrato cumprido, sendo considerada a composição pro rata die para efeitos de cálculo”.

Medida prevista no projeto 

Outra medida prevista no projeto aponta que a SABESP mantenha, pelo período de 12 meses, todos os servidores comissionados da SAMA. Já os concursados deverão seguir nos quadros da companhia por até 24 meses. Entretanto, a autarquia criará um PDV (Programa de Demissão Voluntária) onde as indenizações trabalhistas e benefícios de quem aderir ao programa serão pagos pela SABESP.

Com a aprovação da proposta, cabe agora ao prefeito Atila Jacomussi sancionar a lei e assinar o contrato com a companhia estadual, o que pode acontecer nos próximos dias.

Em nota, publicada em seu site nesta terça-feira (17 de dezembro de 2019), a SABESP informou sobre a aprovação do projeto que autoriza o município a celebrar o Contrato de Prestação de Serviços Públicos com o Estado de São Paulo e a companhia. Ainda segundo a nota,logo, a SABESP analisará o projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal de Mauá e se posicionará a respeito oportunamente. A companhia estadual também afirmou que “manterá o mercado informado a respeito dos desdobramentos do assunto”.

SABESP realizou pesquisa com a população

Em meio às negociações que vinham acontecendo entre a Prefeitura de Mauá e a SABESP nos últimos meses, a companhia estadual realizou um levantamento, encomendado à empresa GMR Inteligência e Mercado, para saber a opinião da população mauaense sobre uma possível entrada da companhia na prestação de serviços de saneamento no município. E a pesquisa mostrou, segundo a própria SABESP, que a maioria dos moradores era favorável a mudança. Os dados foram apresentados no fim de novembro.

De acordo com o levantamento, 81% da população consultada disseram sim para a contratação da Sabesp pela Prefeitura de Mauá para o abastecimento de água, excluindo os que não souberam nem quiseram responder. Questionados sobre por que gostariam que a prefeitura contratasse a companhia estadual, 40% dos entrevistados afirmaram que é “para uma melhoria dos serviços”. Já 25% da população disseram que a “Sabesp é melhor”, enquanto 4% apontaram como justificativa a “Falta de água”.


LEIA TAMBÉM: GESTÃO INTEGRADA DA ÁGUA PODE TIRAR BRASIL DA ROTA DE RISCO DE ESCASSEZ.


Os entrevistados também foram questionados sobre quem era responsável pelos serviços de água na cidade, sendo que 44% disseram ser a BRK; 41,1% apontaram a SAMA, que faz o abastecimento de água atualmente; 3,9%, a Sabesp; e 3,9% a Prefeitura de Mauá.

De acordo com a SABESP, a pesquisa utilizou uma metodologia quantitativa e foi feita a pedido do departamento de pesquisas e estudos de mercado da própria companhia. Ao todo, 400 pessoas – clientes residenciais e não residenciais da atual prestadora dos serviços – responderam as perguntas por telefone. A margem de erro estimada é de 4,9%, com nível de confiança de 95%.

FONTE: Portal Opinião Pública.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *