Biblioteca

Viabilidade de reúso urbano não potável dos efluentes de uma estação de tratamento de esgoto a nível terciário

Publicado em 13/01/2021 às 14:26:35

Resumo

O reúso de efluentes para fins urbanos a alguns anos é uma realidade em muitos países e tem grande potencial de se consolidar no Brasil, sobretudo nos grandes centros urbanos, nos quais é cada vez mais difícil suprir a crescente demanda de água. Esta modalidade de reúso é considerada uma excelente alternativa, uma vez que substituiu a água potável para fins urbanos tais como a irrigação dos canteiros, praças, campos, quadras e feiras livres. Com essa substituição além da economia de água potável (preservada para usos mais nobres como abastecimento doméstico), a redução da vazão de água residuária despejada em outros corpos hídricos e por conseguinte minimização da poluição dos mananciais. Dessa forma, o objetivo principal deste trabalho é avaliar a viabilidade de implementação de sistema de reúso urbano não potável dos efluentes a serem gerados na Estação de Tratamento de Esgotos do Jaguaribe (atualmente em implantação) nos bairros da zona norte de Natal. Para tanto foi avaliado todo o processo de confirmação dos parâmetros e de segurança necessária para que essa prática estivesse de acordo com a melhor legislação proposta pelas cidades do Brasil, visto que ainda não há leis nacionais e nem em nosso estado que regulamentem os parâmetros a serem adotados para essa atividade. Por fim, fez-se necessário a avaliação de todos os custos para se ter uma visão e aferir se os sistemas propostos eram viáveis ou não, obtendo valores próximos a R$ 450.000 de economia com relação a mesma utilização de água de mananciais, além de um volume na escala de 63.000 m³, onde em menos de 1 ano os custos de implantação já teriam seu retorno financeiro.

Autor: Santos, Tiago Barbosa Pessoa dos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *