BIBLIOTECA

O valor inquestionável da água: uma abordagem acerca do preço na percepção das pessoas

Resumo

Este artigo demonstra os resultados obtidos por meio de entrevista estruturada na forma de questionário, a percepção das pessoas acerca do valor e do preço que se cobra pela água da rede pública de abastecimento, de acordo com as políticas públicas tarifárias legalmente estabelecidas no estado de São Paulo, Brasil. Também por meio dele efetuou-se uma análise comparativa do preço da água com o preço médio do minuto da telefonia móvel no Brasil divulgado pela ANATEL quando pôde-se concluir que o preço da água necessária para suprir a necessidade de um indivíduo por um dia equivale a menos de 3 minutos de conversa por meio de telefonia móvel.

Introdução

Considerando o objetivo deste artigo que é demonstrar a percepção das pessoas acerca do valor e do preço que se cobra pela água proveniente da rede pública de abastecimento, primeiramente, neste âmbito introdutório, diferencia-se preço e valor.

Preço é o quanto monetariamente se paga por um determinado bem. No caso da água proveniente do sistema público de abastecimento, que é o objeto dessa pesquisa, o preço corresponde à tarifa aplicada sobre o volume de água consumido. Valor, segundo o dicionário da língua portuguesa Houaiss, significa reconhecimento da importância ou da necessidade de algo ou alguém.

Conforme abordado por BOURREE, 2015, o clássico paradoxo do valor, que vem do filósofo e economista britânico Adam Smith (1723-1790), aparenta-se atual para abordar a questão do preço da água e seu valor. O paradoxo diz: Por que os diamantes custam mais do que a água? A comparação serve para demonstrar como funciona os preços, pois mesmo a água sendo essencial para a sobrevivência humana, a economia coloca preços em coisas com base na sua escassez, e no caso da água há uma falsa percepção de abundância por grande parte da sociedade.

Autores: Rosemara Augusto Pereira e Werner Siegfried Hanisch