BIBLIOTECA

Lições aprendidas – Solução dos problemas das válvulas de retenção da EEAB AC SPSL

Resumo

Inaugurado 03 em abril de 2018, o Sistema Produtor São Lourenço, com seus 82 Km de linhas de adução, demandou diversas atividades e processos para que seu sistema de veiculação de água fosse devidamente carregado e operacionalizado. Particularmente o sistema de adução de água bruta composto por duas estações elevatórias, sistema de amortecimento de transientes hidráulicos, adutora com diâmetro de 2.100 mm com 50 Km de extensão, desnível geométrico de 330m, pressão de recalque de 370 mca (Classe de Pressão PN 40) e vazão de até 6,4 m³/s, adicionado ao ineditismo destes níveis de pressão e vazão, se configurou em um grande desafio de engenharia para os técnicos do sistema.

Nesse contexto, após 01 (um) ano de sua inauguração e plena operacionalidade, alguns novos desafios de operação e manutenção deste inédito sistema de pressurização, bombeamento e armazenamento de água surgiram.

Um dos casos de aprendizado foram os problemas que ocorreram com as válvulas de retenção da EEAB AC. Essas válvulas são responsáveis pelo controle de fluxo nos tramos dos conjuntos motor-bombas e impedem a reversão do fluxo de água no momento do desligamento dos conjuntos motor-bomba, imprescindível para a perfeita funcionalidade destes. A solução dos problemas requereu diversos estudos, ensaios e retrabalhos para o correto dimensionamento e funcionamento das mesmas.

Introdução

As obras do Sistema Produtor São Lourenço representaram um desafio enorme, mesmo para os experimentados profissionais da Sabesp, que se depararam com desafios de engenharia por vezes inéditos, devido a magnitude da obra, pressões nas tubulações (principalmente no trecho de água bruta), diâmetros envolvidos e topografia adversa.

A operacionalização do Sistema de Adução de Água Bruta, que consta de uma Estação Elevatória de Baixa Carga, Uma Estação Elevatória de Alta Carga, Sistema de Amortecimento de Transientes Hidráulicos tipo R.H.O. e uma linha de adutora com diâmetro de 2.100mm assentado em trechos de difícil acesso, elevações acima do convencional – 330 metros geométricos e classe de pressão PN40 fizeram desta empreita um verdadeiro desafio à Engenharia de operação e manutenção. Citamos como exemplo os problemas que ocorreram com as válvulas de retenção da EEAB AC. Essas válvulas são responsáveis pelo controle de fluxo nos tramos dos conjuntos motor-bombas e impedem a reversão do fluxo de água no momento do desligamento dos conjuntos motor-bomba imprescindível para a perfeita funcionalidade destes. A solução dos problemas requereu diversos estudos, ensaios e retrabalhos para o correto dimensionamento e funcionamento das mesmas.

Autor: Celso Gonçalves Arado.