BIBLIOTECA

Resíduos agroindustriais aplicados como material filtrante ao pós-tratamento de água residuária da produção de cosméticos

Resumo

Este trabalho teve como objetivo o tratamento de águas residuárias, proveniente da indústria de cosméticos, para isso um filtro foi construído com camadas de resíduos agroindustriais (cascas de arroz, vermiculita e sabugo de milho carbonizado)em escala laboratorial. Com a filtração lenta, foi possível alcançar um valor final de (Demanda Química de Oxigênio) DQO na ordem de 255,98 mgO2L-1e turbidez final de 18,9 UNT valores estes que se enquadram nos valores dos parâmetros estaduais e federais exigidos para descarte em mananciais. Remoções de Carbono Orgânico Total (COT)de 54,84%e de fenóis totais de 68,78%foram importantes. Atenção também foi dada ao monitoramento da concentração de metais: cádmio, chumbo, níquel, cobalto, magnésio e manganês pós-filtração lenta. Os resultados alcançados foram promissores para o uso de resíduos agroindustriais como materiais filtrantes eficientes, de baixo custo e principalmente que proporcionam a sustentabilidade ambiental.

Introdução

Na indústria de cosméticos, a linha de produção realiza procedimentos de lavagem de materiais, sanitização de equipamentos, assim como a limpeza das linhas de envase. Esses processos demandam elevada quantidade de água e, por consequência, geram grande volume de águas residuárias.

Entre as principais matérias-primas utilizadas para a fabricação de cosméticos, têm-se a água, os tenso ativos, os surfactantes, os emolientes, os emulsificantes, os espessastes, os corantes, os pigmentos e as essências produzindo águas residuárias ao final do processo de produção, com baixa biodegradabilidade e alta concentração de matéria orgânica recalcitrante, representada por carbono orgânico total (MELO;MOUNTEER, 2017).

Algumas classes de compostos presentes na água residuária apresentam propriedades disruptoras endócrinas como, por exemplo, os parabenos, ftalatos, ácido etileno-diamino tetra acético (EDTA) e o triclosan (SOUZA et al., 2014; SUetal., 2015; DHILLON et al., 2015; BERGERet al., 2019). Entende-se por disruptores ou desreguladores endócrinos (DE) as substâncias que são externas ao corpo, mas que podem interferir na síntese, secreção, transporte, metabolismo ou eliminação de vários hormônios.

Resíduos líquidos que apresentam essas características devem receber o tratamento adequado, atingindo os níveis de parâmetros ambientais impostos pelas legislações vigentes para descarte, evitando problemas relacionados aos poluentes emergentes e suas potencialidades tóxicas e xenobióticas.

Neste contexto, a tecnologia por filtração lenta pode contribuir como um polimento final da amostra poluente, tendo em vista que é um processo de tratamento de água, de fluxo contínuo ou batelada e sem retrolavagem durante a operação, não requer coagulação química, possui baixo custo operacional devido ao baixo consumo de energia e simplicidade na operação e manutenção (LI; ZHOU; CAMPOS, 2018).

É importante apontar que além dos aspectos operacionais citados e os mecanismos físico-químicos de remediação inerentes ao tratamento dentro do filtro lento, o aspecto biológico também deve ser levado em consideração, à medida que água percola a areia a camada biológica denominada de “schmutzdecke’se forma na interface água-areia. O “schmutzdecke”é uma camada que consiste tipicamente de areia, algas, húmus, bactérias e protozoários e que pode ser responsável pela maior parte da remoção de poluentes (ALESSIOet al.,2015).

As areias, as britas, o pedregulho e o carvão ativado são utilizados, geralmente, para compor o filtro lento. Há crescente procura por materiais alternativos, de baixo custo, e que apresentem sustentabilidade ambiental, a fim de serem utilizados em processos de filtração(SONGet al., 2015).

Do ponto de vista ambiental, social e econômico, há a preocupação com relação ao aproveitamento dos resíduos agrícolas que são produzidos todos os dias pela agricultura. As enormes quantidades de resíduos gerados atestam a necessidade de um tratamento, para que sejam descartados apropriadamente, uma vez que eles apresentam potencialidade poluidora de recursos hídricos e do solo.

Alguns resíduos agrícolas contêm celulose, hemicelulose, lignina, pectina e algumas proteínas vegetais, que possuem grande potencial na adsorção de vários poluentes, bem como de diversos metais. Além disso, os resíduos agrícolas podem ser usados na produção de carvão ativado, visto que possuem baixo teor de cinzas, durabilidade e podem ser obtidos a preço reduzido (BHATNAGAR; SILLANPAA,2010; PETROVIC et al., 2017).

Sendo assim, esta pesquisa propôs o tratamento da água residuária da indústria cosmética, com a finalidade de se obter níveis de redução de poluição, analisados pelos parâmetros ambientais necessários, para descarte em mananciais, bem como o uso de resíduos sólidos (casca de arroz, sabugo de milho e vermiculita).

Esses resíduos podem ser interessantes como material filtrante, uma vez que apresentam características como grupos funcionais oxigenados presentes na superfície, os quais favorecem o processo de absorção, adsorção, troca iônica e que muitas vezes seriam descartados nomeio ambiente sem qualquer uso benéfico.

 

Autores: Pryscilla Martins Andrade e Núbia Natália Brito.

leia-integra