BIBLIOTECA

Proposta de automação de uma estação de tratamento de água para processos industriais

Resumo

 
Proposta de automação – A água, como fonte de vida, é o bem mais precioso de nós seres humanos. Desde os primórdios, a água foi responsável pela manutenção da vida e está diretamente ligada ao desenvolvimento de uma sociedade. Por outro lado, a água é um dos recursos primordiais no meio industrial, ainda mais quando a utilização se dá em processos alimentícios. Por motivo da utilização de grandes volumes desse bem na indústria, formas de tratamento da água captada de uma fonte não segura vem sendo desenvolvidas visando atender a grande demanda e gerando o mínimo de impactos ambientais possíveis. Desta forma, este trabalho conseguiu desenvolver uma solução completa de automação de um sistema de tratamento de água, desde a captação, o tratamento e a distribuição de agua limpa pela indústria. A solução foi desenvolvida utilizando o protocolo de comunicação Modbus e equipamentos industriais como Controladores Lógicos Programáveis e Interface Homem-Máquina para operação do processo.

Introdução

Com o crescimento da população a cada ano, a demanda de empresas alimentícias para a entrega de produtos cada vez melhores, com maior velocidade e menores custos tem aumentado substancialmente. Um dos insumos mais utilizados por estas empresas é a água tratada, que tem se tornado um bem de consumo cada vez mais escasso no mundo. Tratar a água de forma eficiente é crucial para que a demanda pelos alimentos por parte da população seja atendida com qualidade.

Visando realizar a limpeza e desinfecção de uma determinada substância, as estações de tratamento são importantes pois possibilita o armazenamento da substância e o tratamento da mesma. As principais estações de tratamento são as ETE e ETA. A estação de tratamento de esgoto (ETE), tem como principal objetivo possibilitar o descarte do esgoto com o menor impacto ambiental possível. Neste processo, são realizados tratamentos químicos, físicos e biológicos visando eliminar os poluentes do esgoto. Já a estação de tratamento de água (ETA), é o local onde a água retirada de rios, represas e poços é putrificada visando atender o consumo humano ou industrial.

Neste processo são realizados tratamentos químicos e físicos que possibilitam a retirada de componentes sólidos e a correção do PH do fluído de maneira segura. A água tratada neste processo abastece residências, comércios e indústrias, podendo causar doenças graves caso o tratamento não seja realizado de maneira correta. Dentro do ambiente industrial e dependendo do processo produtivo, geralmente é necessário existir tanto ETA quanto ETE. Para isso, visando melhorar o tempo para a realização do tratamento da água, projetos de automação para esse processo torna-se cada vez mais necessário. (P&Q Engenharia Jr 2018).

A automação destes processos na indústria tem crescido cada vez mais, o que aumenta a confiabilidade do produto, a eficiência da produção, a flexibilidade e também a segurança da operação do sistema. Por isso, a evolução da automação e também das redes industrias estão inseridos dentro de grande parte das instalações industriais.

No contexto das redes industriais, elas surgem para dar flexibilidade ao processo de controle industrial, sendo capaz de gerenciar e supervisionar processos complexos, através de uma precisa troca de informações, dada em protocolos, entre sensores, computadores, máquinas, atuadores, entre outros equipamentos.

Atualmente existem diferentes protocolos de comunicação nas redes industriais no mercado, sendo alguns dos principais: AS- Interface, Profinet, Profibus, DeviceNet, Ethernet/IP e Modbus.

O presente trabalho apresenta uma proposta de automação que abordará os conceitos básicos que estão envolvidos no desenvolvimento de uma ETA e descreverá uma das formas de automatizar esse processo, utilizando tecnologias de automação sólidas e amplamente difundidas no setor industrial, visando no final do trabalho possibilitar a entrega de um sistema seguro, robusto, eficiente e que ajude os operadores nas identificações de falhas e tomadas de decisões durante a operação do sistema.

Autor: Pedro Henrique de Castro Aragão.

 

Proposta de automação


LEIA TAMBÉM: EQUIPAMENTOS VARIADOS PARA O SEGMENTO DE SANEAMENTO