BIBLIOTECA

Estudo preliminar da potabilidade da água, para o consumo, da rede de abastecimento do município de Humaitá-AM

Resumo: A água considerada potável deve ser inofensiva para saúde humana, agradável aos sentidos e adequada aos usos domésticos. A rede de abastecimento de água é um dos elementos preponderantes do saneamento básico por estar diretamente relacionado com a saúde de quem consome. Desta forma este trabalho tem como objetivo a realização de estudo preliminar da potabilidade da água, para o consumo, da rede de abastecimento do município de Humaitá-AM. A pesquisa foi desenvolvida pelo programa institucional para concessão de bolsas de incentivo à iniciação científica (PIBIC-Jr) e apresenta dados parciais que remete a situação estrutural do abastecimento de água do município de Humaitá-AM, bem como o patamar que se encontra a qualidade oferecida para toda população humaitaense. Sabendo da importância do abastecimento para saúde humana, os ensaios laboratoriais, das amostras coletadas na área urbana, de caráter Físico-químico e Microbiológico legitimaram algumas expectativas e ajudaram a sanar as dúvidas existentes a respeito do assunto pesquisado.

Introdução: As discussões inerentes neste artigo pretende estabelecer relação entre a saúde pública e meio ambiente, de acordo com as técnicas e procedimentos que envolvem o abastecimento de água, desde sua captação até a distribuição, no município de Humaitá, assim como a qualidade do recurso ofertado para população humaitaense. O município de Humaitá está localizado ao Sul Estado do Amazonas, faz divisa com os municípios de Manicoré, Canutama e Tapauá, todos situados nos Estados do Amazonas, e ao Sul limita-se com Porto Velho, capital de Rondônia. A população estimada para o município é de 50 mil habitantes (IBGE, 2015).
A responsabilidade pela oferta do serviço de abastecimento de água do município é da Companhia Humaitaense de Águas e Saneamento Básico – COHASB, sua natureza jurídica, autarquia municipal, fundada no ano de 2003, tem o desafio de atender toda população urbana através de um conjunto de sistemas hidráulicos e instalações responsáveis pelo suprimento de água. A rede de abastecimento de água é um dos elementos preponderantes do saneamento básico por estar diretamente relacionado com a saúde de quem consome, por isso há necessidade de garantir a oferta deste serviço amparada, ao menos, em dois requisitos: a qualidade e a quantidade. A qualidade garante a segurança de quem consome, assim como a preservação do local de onde está vindo água para o consumo. A quantidade serve para atender as necessidades de consumo de todas as pessoas e suas diversas finalidades que se destina. Não obstante, a quantidade ainda não é problema para a população humaitaense, embora ocorra esporadicamente interrupção na redistribuição do recurso devido ao racionamento de energia elétrica resultante da ineficiência energética da cidade em alguns períodos do ano, mas as circunstâncias que acarretam dúvidas e discussões a respeito do consumo da água ofertada pela COHASB prezam pela qualidade, haja vista que a água ofertada à população não passa por nenhum tipo de tratamento, o recurso é captado nos 27 poços espalhados pela cidade e interligado diretamente na rede de abastecimento. O Ministro de Estado da Saúde define no art. 5, inciso VI, da Portaria Nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011, que: sistema de abastecimento de água para consumo humano: instalação composta por um conjunto de obras civis, materiais e equipamentos, desde a zona de captação até as ligações prediais, destinada à produção e ao fornecimento coletivo de água potável, por meio de rede de distribuição. A água considerada potável deve ser inofensiva para saúde humana, agradável aos sentidos e adequada aos usos domésticos. Vale ressaltar que a água natural ou in natura, para tornar-se potável em muitos casos necessita passar por tratamento para eliminarem todas as substâncias originalmente presentes que lhe confiram algum gosto ou cheiro peculiar, assim como não devem apresentar turbidez e cor fora dos parâmetros de potabilidade (MEDEIROS FILHO, UFCG). As desconfianças atribuídas à qualidade da água ansiaram por respostas imediatas, a fim de cooperar com os serviços de abastecimento público do município, bem como a saúde da população local. Sabendo que para cada dólar investido em saneamento básico, economiza-se 4,3 dólares em custo com a saúde no mundo (OMS, 2014). Aferir a qualidade da água pode ser compreendido como uma técnica de prevenção e ao mesmo tempo de investigação, pois consiste em avaliar, ininterruptamente, a qualidade da água consumida pela população, permitindo a assimilação de fatores de riscos e a definição de estratégias de melhoria da situação existente (CETESB, 2011).

Autores: Edgar Henrique de Castro; Jhonata Lemos da Silva e Judson Oliveira Formiga.

Leia o estudo completo: estudo-preliminar-da-potabilidade-da-agua-para-o-consumo-da-rede-de-abastecimento-do-municipio-de-humaita-am