BIBLIOTECA

Eletrodegradação de compostos fenólicos presentes em efluentes da indústria oftálmica

Resumo: No presente trabalho foi realizado um estudo para degradação de compostos fenólicos provenientes de efluente da indústria oftálmica, na tentativa de minimizar os impactos ambientais gerados. Resíduos originados por esta indústria são compostos por metais complexados por ação de agentes quelantes, tensoativos, EDTA, compostos orgânicos e corantes. Eles podem atrapalhar o desenvolvimento de microrganismos utilizados em tratamentos convencionais, dificultando-os. A implantação de tratamentos oxidativos avançados, como a eletrodegradação, tem sido amplamente utilizados para a remoção da coloração de compostos orgânicos. Tais processos podem ser empregados como tratamento principal ou secundário, com aplicação em fase única ou em pré e/ou pós-tratamento. Objetivou-se neste trabalho o estudo de um meio alternativos de tratamento por meio de processo de eletrodegradação visando analisar a sua viabilizado através da comparação dos padrões exigidos pela legislação vigente, como DQO, DBO, compostos fenólicos, pH, e redução de cor, para lançamento de efluentes em corpo receptor. Assim, foi possível verificar que efluente foi degradado, porém não é possível afirmar que os teores não foram suficientemente adequados para ser descarte em corpo aquático de acordo com órgão controlador.

Introdução: Há algumas décadas a sociedade vem se preocupando com a conservação do meio ambiente, preocupação esta que inicialmente era de uma pequena parcela da população mundial, que insistentemente relatava a necessidade de desenvolvimento de técnicas sustentáveis e principalmente a mudança de hábitos que até então eram voltados apenas para uma atividade consumista. Segundo o astrônomo Carl Sagan, se toda a história do universo passasse em um período de um ano, a humanidade entraria neste período somente nos seus últimos 7 minutos, que de uma maneira espantosa produziu tecnologia suficiente para facilitar nossas atividades diárias no âmbito social e científico. Porém esta evolução não levou em consideração a possibilidade dos recursos naturais serem finitos, tornando o consumo maior que a produção de bens naturais (FORNARI, 2007). Compostos de alta massa molecular e elevada complexidade foram criados e empregados em inúmeras áreas como, medicamentos, alimentos, utensílios domésticos e industriais, tal como para na estética. Nestes podem ser adicionados uma variedade enorme de corantes, cuja finalidade de dar e/ou mudar a cor dos produtos. Portanto compostos como corantes, metais complexados por ação de agentes quelantes, enzimas e tensoativos que tentem a dificultar a proliferação de microrganismos utilizados em tratamentos biológicos, necessitam de processos de coagulação seguida de separação por flotação ou sedimentação. Estes são muito eficientes na remoção de material particulado de diversos efluentes (NOGUEIRA, 2007). No intuito de remover a coloração de compostos orgânicos é necessária a implantação de tratamentos complementares como processos oxidativos avançados (POA), como por exemplo, Eletrodegradação, Eletrofloculação, processos Fenton, Foto Fenton entre outros, que surgem como uma alternativa ao tratamento de uma grande diversidade de efluentes. Estes processos podem ser empregados como tratamento principal ou secundário com aplicação de fase única ou de pré e/ou pós-tratamento (FABRIS, 2014). Por se tratarem de processos com empregabilidade muito recente na degradação de efluentes industriais, é comum o uso desses processos combinados a processos físico-químicos como acontece nas indústrias têxteis. Nela, o material particulado é removido por filtração e métodos de floculação ou coagulação, que facilitam a retirada de metais do efluente. Somente após estas etapas são aplicados os processos oxidativos avançados para a remoção de cor, carbono orgânico total (COT) e odor (FABRIS, 2014). A produção deste trabalho visa explorar o tratamento de efluentes provenientes da indústria oftálmica com a aplicação da técnica de eletrodegradação com eletrodos fixos de platina e analisar a viabilidade do processo através da comparação dos padrões exigidos pela legislação vigente para lançamento de efluentes em corpo receptor e os parâmetros encontrados experimentalmente.

Autor: EDUARDO COLTRI RAMOS.

Leia o estudo completo: Eletrodegradação de compostos fenólicos presentes em efluentes da indústria oftálmica