BIBLIOTECA

Dessalinização da água subterrânea no município de Guaiúba no estado do Ceará

Resumo

O suprimento de água de Guaiúba é garantido através do manancial denominado açude Acarape do Meio, que pertence à bacia Metropolitana, porém nesses períodos de chuvas escassas ou inexistentes, os pequenos mananciais superficiais geralmente secam e os grandes chegam a atingir níveis críticos, provocando muitas vezes colapso no abastecimento de água. Dentro desse panorama aumenta a importância da água subterrânea, que representa, muitas vezes, o único recurso disponível para o suprimento da população e dos rebanhos. Para tornar-se apropriada ao consumo humano, entretanto, a(s) água(s) deste(s) manancial(ais) precisa(m) ser submetida(s) a um tratamento de forma a adequá-la(s) ao padrão de potabilidade estabelecido pela Portaria 2914/11 do Ministério da Saúde. Objetivou-se com esse trabalho avaliar a utilização de dessalinizadores por osmose reversa, no município de Guaiúba, considerando a qualidade da água gerada na captação através de poços profundos escavados no cristalino e a percepção socioambiental dos usuários desse sistema. A metodologia consiste em realizar um diagnostico técnico dos sistemas de dessalinização instalados no município e após essa etapa, implantar os serviços de recuperação, instalação e manutenção dos dessalinizadores.Com isso pretendemos oferecer a população de áreas remotas, água de boa qualidade em quantidade suficiente para abastecer grande parte da população rural, cujo o acesso a água fornecida pela empresa responsável pelo abastecimento de água no município é limitada. Os dessalinizadores de água salobra de poços são bastante utilizados para dotar as comunidades rurais do semiárido brasileiro com água potável, sendo considerada uma tecnologia social de convivência com a seca. É preciso analisar as alternativas de obtenção de água para usos diversos. Em contraposição às formas tradicionais de acumular água em pequenos reservatórios de superfície (açudes) e perfuração de poços no cristalino, têm-se buscado alternativas como poços de grande profundidade nas áreas sedimentares, metodologias para redução da evaporação e controle da salinização, destinação e uso de efluentes.

Introdução

O município de Guaiúba, está inserido em uma área geográfica de 267 km², distante 26,1 km da capital cearense e está localizado na região dos maciços residuais. Apresenta aspecto climático tropical quente, sub-úmido, com precipitação média anual de 1013,7 mm, (Funceme,2018).

Com relação aos recursos hídricos, Guaiúba está inserida na bacia metropolitana, conforme o Plano Estadual de Recursos Hídricos – PERH, e é banhada pela bacia hidrográfica do rio Pacoti. Os rios são intermitentes, apresentando escoamento superficial nulo durante alguns meses do ano. O município conta com a existência de vinte pequenos açudes, sendo apenas cinco com volume superior a 1.000.000m³. Os pequenos açudes possuem capacidade de acumulação estimada em 5.522.000m³ (IPECE, 2011).

A evolução do espaço geográfico, tanto no meio rural, como no meio urbano, tem seu reflexo diretamente na bacia hidrográfica. A expansão urbana, o aumento da atividade industrial, as atividades agrícolas, turismo, especulação imobiliária e as intervenções de engenharia (barramentos), somados na bacia hidrográfica dos rios têm ocasionado impactos negativos de grande monta.

A expansão urbana e as necessidades de desenvolvimento, sem levar em conta o meio ambiente, tem promovido a contaminação dos cursos d’água, a impermeabilização do solo, o assoreamento dos reservatórios e rios, barramentos sem considerar as questões hidrométricas, prejudicam toda a dinâmica da bacia hidrológica.

Autor: Djalma Mourão Albano.

leia-integra