BIBLIOTECA

Conhecendo as diferentes faces do ozônio

Resumo

O ozônio (O3) é um gás presente em duas camadas da atmosfera terrestre: na troposfera (altura 0-15 km), camada que contém 75% do volume total de gases presentes na atmosfera, e na estratosfera, camada que se estende entre 15 e 50 km de altitude. O processo de formação do O3 em cada uma dessas camadas é diferente, bem como os impactos na saúde humana: enquanto o O3 troposférico é deletério à saúde, o estratosférico tem um efeito indireto benéfico. A fim de contribuir para a disseminação do conhecimento sobre o O3, aqui é descrito, por meio de uma revisão atualizada da literatura, o processo de formação do O3 em cada camada atmosférica, seu impacto na saúde humana e, também, os fatores que causam a depleção da camada de ozônio.

Introdução

O ozônio (O3) é um gás incolor constituído por três átomos de oxigênio (O) e descoberto em laboratório por Christian Friedrich Schönbein em meados do século XIX (Wallace & Hobbs, 2007). O nome ozônio tem origem da palavra grega ozein, que significa cheiro, e foi primeiramente detectado por Schönbein, após perceber que as descargas elétricas provenientes de tempestades possuíam um cheiro e, tal cheiro, era em decorrência da presença de O3
(Rubin, 2001).

Na atmosfera, o O3 está presente em duas camadas: na troposfera, camada que se estende da superfície até cerca de 15 km de altura, e na estratosfera, camada entre 15 e 50 km de altura. Devido à sua baixa concentração (inferior a 0,00001% do volume total dos gases que compõem a atmosfera), o O3 é considerado um gás traço e com concentração variável (Ynoue et al., 2017).

O O3 se forma por processos químicos distintos na troposfera e estratosfera (Krupa & Manning,1988) e, nessas camadas, exerce influência distinta nos organismos vivos da superfície do planeta. Na troposfera, próximo ao solo, é considerado um poluente, responsável por ocasionar efeitos danosos nos seres humanos, animais e materiais (Crutzen, 1988, Rim et al., 2016). Por outro lado, na estratosfera, tem a propriedade de absorver a radiação ultravioleta nociva aos seres vivos (Van der Leun, 2004).

O O3 é empregado em diversas áreas. Por exemplo, na área da saúde é utilizado como antimicrobial em processos de esterilização de água (Umar et al., 2013) e equipamentos médicos (Thill & Spaltenstein, 2019). Na aquicultura, é usado como desinfetante a fim de remover carbono orgânico, turbidez, algas e odor da água (Gonçalves & Gagnon, 2011). Já na indústria alimentícia, é aplicado no processamento de grãos (Tiwari et al., 2010) e na preservação de alimentos (Pandiselvam et al., 2019).

Uma vez que o O3 presente na atmosfera pode desencadear efeitos benéficos e maléficos à biosfera, por isso o título “diferentes faces do ozônio”, essa revisão da literatura tem como objetivo descrever o processo de formação do O3 na troposfera e estratosfera, o impacto na saúde humana e a depleção da camada de ozônio.

Autores: Ana Letícia Campos Yamamoto, Michelle Simões Reboita, Marcelo de Paula Corrêa.

leia-integra