Notícias

Aproveitamento do lodo de ETE em materiais de construção

Publicado em 13/01/2020 às 10:28:50

Com o aumento contínuo da população mundial, o crescimento econômico dos países subdesenvolvidos junto com a industrialização e urbanização, as necessidades de tratamento de efluentes estão aumentando.

aproveitamento-lodo-ete-materiais-construcao

Lodo produzido em ETE. (Imagem: iAgua).

Grandes quantidades de lodo são produzidas como um subproduto nos tratamentos primários e secundários das estações de tratamento de esgotos (ETEs) em todo o mundo, sendo necessário possuir uma solução.

Na Alemanha, 1,85 milhões de toneladas foram produzidas em 2017 (sólidos secos) e na China, o país com a maior população mundial, 12 milhões de toneladas de lodo foram produzidas em sólidos secos no ano de 2017. Estima-se que 45 milhões de toneladas foram produzidas em todo o mundo. Portanto, é necessário investigar e seguir pesquisando neste campo.

aproveitamento-lodo-ete-materiais-construcao

ETE de grande capacidade. (Imagem: Flickr).

O lodo produzido em ETEs possui uma composição muito heterogênea: substâncias orgânicas e inorgânicas, microrganismos, patógenos, compostos de nitrogênio e fósforo, metais pesados e alto teor de água. Portanto, passam por tratamentos de espessamento, estabilização e desinfecção antes de ser utilizado.


LEIA TAMBÉM: ISOLANTE TÉRMICO A PARTIR DE LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS.


Algumas das aplicações onde estão sendo utilizadas, são o setor agrícola, fabricação de composto e materiais de construção, incineração sendo que em alguns países, acabam em aterros sanitários. Devido ao seu uso ainda desconhecido e potencial no campo de materiais de construção, esta aplicação será demonstrada nesse artigo.

aproveitamento-lodo-ete-materiais-construcao

Aplicações em materiais de construção. (Imagem: iAgua).

Na composição do lodo são encontrados muitos óxidos, como o dióxido de silício (SiO2), óxido de alumínio (Al2O3), óxido de cálcio (CaO), óxido de ferro (Fe₂O₃), óxido de magnésio (MgO) e pentóxido de fósforo (P2O5) que o torna muito semelhante em composição a argilas e cimentos. Portanto, embora seu uso ainda não seja generalizado, em países como o Japão eles já são utilizados na fabricação de eco-cimentos, tijolos, materiais cerâmicos ou como agregados leves.

Há também a possibilidade de usar as cinzas obtidas em sua incineração, apresentando uma composição maior em óxidos, do que no lodo não incinerado e melhores características mecânicas para uso em materiais de construção.

No caso do cimento, até 15% no peso de lodo poderia ser usado sem afetar praticamente as características do cimento tradicional e até 20% se as cinzas de lodo forem utilizadas para fazer o cimento Portland. Eles também podem ser aproveitados como combustível para alimentar fornos de cimento.

Finalmente, também deve ser levado em consideração o aspecto ambiental, já que a presença de metais pesados contidos no lodo é transferida para os materiais de construção e pode ser posteriormente liberada no ambiente por lixiviação. No entanto, estudos atuais concluem que a concentração na qual eles podem ser liberados no meio ambiente é muito menor do que os limites ambientais estabelecidos.

aproveitamento-lodo-ete-materiais-construcao

Referência: Kevin Castillo Fernández, iAgua, Escuela Técnica Superior de Ingenieros Industriales de la Universidad Politécnica de Madrid.

Adaptado por Portal Tratamento de Água

Traduzido por Gheorge Patrick Iwaki


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *