Notícias

Vazamento de esgoto: Cascavel/PR tem em média dois casos por dia

Publicado em 06/04/2018 às 09:19:39

Número de casos aumentou 84% nos últimos anos e volume de resíduos que chega aos rios preocupa

 

vazamento-de-esgoto

No final de 2016 Cascavel alcançou uma marca invejável no saneamento básico: a rede de esgoto está disponível para 97% das residências. Mas será que o esgoto que cai na rede coletora, está chegando ao destino certo? À estação de tratamento?

Em 2014 a Sanepar registrou 289 casos de vazamento, em 2015 foram 454, em 2016 houve um salto para 559 e no ano passado foram 715 situações de vazamento. A média é de quase dois casos por dia. A CGN apurou que o número de acidentes com vazamento do esgoto coletado é significativo e, junto com a rede, aumentou 83,8% nos últimos anos.

A Sanepar não tem nenhuma forma de mensurar a quantidade de dejetos que vazaram da rede nestes acidentes. Quando o extravasamento ocorre em vias públicas a situação é rapidamente percebida por moradores, mas, em alguns casos, o ponto de saída do esgoto fica em áreas de mata e até a situação ser percebida muito material pode vazar.

“O atendimento às emergências de extravasamentos é prioridade. Tão logo a Sanepar é comunicada, imediatamente são deslocadas equipes para solucionar o problema e limpar a área afetada, minimizando os impactos causados pelo acidente. As equipes de manutenção e atendimento trabalham 24 horas por dia”.

No final de 2016 Cascavel alcançou uma marca invejável no saneamento básico: a rede de esgoto está disponível para 97% das residências. Mas será que o esgoto que cai na rede coletora, está chegando ao destino certo? À estação de tratamento?

A CGN apurou que o número de acidentes com vazamento do esgoto coletado é significativo e, junto com a rede, aumentou 83,8% nos últimos anos.

Em 2014 a Sanepar registrou 289 casos de vazamento, em 2015 foram 454, em 2016 houve um salto para 559 e no ano passado foram 715 situações de vazamento. A média é de quase dois casos por dia.

A Sanepar não tem nenhuma forma de mensurar a quantidade de dejetos que vazaram da rede nestes acidentes. Quando o extravasamento ocorre em vias públicas a situação é rapidamente percebida por moradores, mas, em alguns casos, o ponto de saída do esgoto fica em áreas de mata e até a situação ser percebida muito material pode vazar.

“O atendimento às emergências de extravasamentos é prioridade. Tão logo a Sanepar é comunicada, imediatamente são deslocadas equipes para solucionar o problema e limpar a área afetada, minimizando os impactos causados pelo acidente. As equipes de manutenção e atendimento trabalham 24 horas por dia”.

Vazamento de esgoto no rio

No último feriado um internauta denunciou um caso destes à CGN. A área de difícil acesso fica perto do Rio Quati, no Bairro XIV de Novembro e o vazamento era significativo. De fato a Sanepar foi ao local imediatamente após ser avisada pela reportagem, mas não foi possível estimar por quanto tempo o esgoto saiu da rede e atingiu o rio.

A companhia afirma que o lixo jogado inadequadamente nas redes, o despejo de gordura nos ralos e nas pias e a canalização da água das chuvas nas redes coletoras de esgoto são os principais fatores que ocasionam o entupimento das tubulações e o extravasamento do esgoto nas vias ou o refluxo do esgoto para dentro dos imóveis.

“A tubulação precisa ter maior capacidade e em muitos lugares o material usado é obsoleto. Lógico que o vandalismo, ligações clandestinas e destinação errada de resíduos é uma parte do problema, mas o investimento para melhorar a rede precisa existir”.

Outra sugestão do ambientalista é que exista uma fiscalização sistemática para conseguir identificar o problema de uma maneira eficiente.

A Sanepar garante que mantém manutenção preventiva nas redes e tubulações que coletam e transportam o esgoto. São realizadas Vistorias Técnicas Operacionais (VTO) de forma sistemática. Em Cascavel são 1.392 quilômetros de redes coletoras distribuídas por todas as regiões da cidade. Além da rede a Sanepar tem 22.336 poços de visitas para inspeção e manutenção, 10.318 terminais de inspeção e 85.488 dispositivos de inspeção de ligação.

Fonte: cgn


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *