NOTÍCIAS

Usina de dessalinização do CE: interessadas serão conhecidas dia 15 de maio

As propostas para a realização de estudos da usina de dessalinização do CE serão entregues até sexta-feira

 

usina-de-dessalinizacao-do-ce-0517

 

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) anunciará em junho a empresa vencedora para elaboração dos estudos de planta de dessalinização de água marinha para a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Com capacidade de 1 m³/s (1 mil l/s), a ser contratada em regime de parceria público-privada (PPP). A previsão inicial de anúncio é para o dia 13 de junho.

Na sexta-feira, 12, a Cagece recebe, até às 17 horas, as manifestações dos interessados para elaboração dos estudos. Apenas na segunda-feira, 15, é que devem ser conhecidas as empresas habilitadas para concorrer ao edital. O projeto visa reduzir o risco de crise hídrica no Estado.

“O governo lançou isso (Edital do Procedimento de Manifestação de Interesse – PMI – da dessalinização) em março, agora vai sair o resultado da empresa que fez o melhor estudo e nós vamos já lançar o edital para a empresa que estiver interessada em construir uma unidade de produção de 1 mil l/s (1 m³/s) para enfrentar o problema da seca”, disse o governador do Estado, Camilo Santana, em transmissão ao vivo, ontem, no Facebook.

Manifestações

Ronner Gondim, superintendente de Sustentabilidade da Cagece, o prazo para tirar dúvidas foi até 28 de abril.

“Recebemos algumas perguntas e houve resposta, logo, acredito que haverá interessados no edital”.

Conforme O Povo publicou em 14 de março, o presidente da Cagece, Neuri Freitas, afirma que há pelo menos 12 interessadas (italianas, francesas, coreanas, alemãs, israelenses, além de participantes locais e nacionais).

A vencedora da proposta com melhor técnica e preço, que não deve ultrapassar R$ 5 milhões, deve realizar o projeto no prazo de 150 dias. Este estudo dará subsídio ao Governo do Ceará para elaborar o edital de implementação da planta de dessalinização na RMF.

Fernando Ximenes, presidente da Gram-Eollic e cientista industrial, diz que os critérios do edital de PMI excluem a participação de empresas brasileiras na realização dos estudos, porque o Brasil não tem usina de dessalinização e é exigido conhecimento prévio de planta de 1 m³/s.

“Acredito que nenhuma empresa vá apresentar interesse, porque o prazo de 150 dias não é viável para realizar um estudo. Nós, que conhecemos o Ceará estamos fazendo estudo do nosso projeto há 11 meses, imagine uma empresa de fora. Acho que vai ser esvaziado o edital”, diz.

O empresário possui projeto de planta de dessalinização offshore (no mar), que utiliza energia solar, com a Universidade Federal do Ceará (UFC), para deixar a água do mar potável, que prevê custos menores que o de empresas estrangeiras. Segundo dados da Cagece, o metro cúbico da água dessalinizada é cerca de US$ 1 (cerca de R$ 3,20). O projeto da UFC estima custos de R$ 0,13 por m³. A água que consumimos, não dessalinizada, tem preço R$ 0,90 por m³.

Fonte: Jornal O Povo