Notícias

União Europeia vai adotar meta de redução de uso de agrotóxicos e fertilizantes

Segundo a Comissão Europeia, a medida pretende tornar o ‘sistema alimentar mais saudável, garantindo a segurança alimentar e reduzindo os danos ambientais e climáticos’

 

agrotoxicos

 

A Comissão Europeia anunciou na quarta-feira, 20, que a União Europeia vai adotar como meta a redução de 50% no uso de agroquímicos e uma diminuição de pelo menos 20% na utilização de fertilizantes. As medidas fazem parte de uma estratégia chamada de ‘Farm to Fork’.

Segundo comunicado oficial, a medida pretende tornar o ‘sistema alimentar mais saudável, garantindo a segurança alimentar e reduzindo os danos ambientais e climáticos’.

Estratégias para implementação de medidas sustentáveis

O pacote de medidas inclui, ainda, uma redução de 50% nas vendas de antimicrobianos usados em animais e a implementação de agricultura orgânica em 25% das terras agrícolas. Segundo a entidade, a estratégia depende dos agricultores, pescadores e aquicultores europeus, que vão receber novas fontes de financiamento e todo o apoio necessário para adoção das práticas mais sustentáveis.


LEIA TAMBÉM: (DES)CUMPRIMENTO DE OBRIGAÇÕES AMBIENTAIS DURANTE A COVID-19.


“Tornar a sustentabilidade a marca registrada da Europa abrirá novas oportunidades de negócios e diversificará as fontes de renda para os agricultores e pescadores europeus”, afirma a Comissão no documento. Para entrar em vigor, a proposta ainda precisa ser aprovada pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho.

No âmbito da pandemia do novo coronavírus, o grupo também defende que as medidas podem apoiar a recuperação econômica, fortalecendo a resiliência da sociedade a futuras ameaças, aumentando a proteção da vida humana e selvagem.

“Temos de avançar e tornar o sistema alimentar da UE uma força motriz para a sustentabilidade. A Estratégia Farm to Fork fará uma diferença positiva na maneira como produzimos, compramos e consumimos nossos alimentos que beneficiarão a saúde de nossos cidadãos, sociedades e meio ambiente”, reforça a comissária para Saúde e Segurança Alimentar, Stella Kyriakides.

Fonte: Canal Rural.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *