NOTÍCIAS

Três casos interessantes de implantação de ar difuso

 

  1. 1. Oxigênio puro x Aeração por ar difuso.

Uma tradicional fábrica de alimentos do interior do estado de São Paulo optou, em 2010, pela substituição, no seu tratamento biológico, da utilização de um sistema com oxigênio puro por ar atmosférico através de ar difuso. Apesar da tecnologia com oxigênio puro ser muito eficiente e segura, a empresa em questão pagava mensalmente na época aproximadamente R$ 200 mil por mês entre locação de equipamentos e o consumo do gás propriamente dito.

A decisão da mudança ocorreu após análise do custo energético do sistema de aeração por ar difuso, que na época era de aproximadamente de R$ 30 mil/mês. O investimento total foi na ordem de R$ 2 milhões o que significou um pay back inferior a um ano.

  1. 2. Aeradores mecânicos X Aeração por ar difuso

Para ampliar as ações de desenvolvimento sustentável e reduzir impactos ambientais, uma grande indústria de papel e celulose, ampliou e melhorou sua ETE em 2006. O suprimento de oxigênio no tanque de aeração deixou de ser realizado por aeração mecânica, e passou a utilizar ar difuso através de um sistema com difusores tubulares removíveis. Para suprir a necessidade de oxigênio seria necessário o incremento com mais 45 aeradores mecânicos, consumindo energia equivalente a 1075 CV. Em contra partida, com o novo sistema de aeração por ar difuso, foram instalados 03 sopradores com potência total de 525 CV, representando uma economia superior a 50%.

  1. 3. Bolha Fina x Bolha Grossa

Há mais de 10 anos, um gigante da indústria química mundial situado no Vale do Paraíba optou pela substituição de um sistema de aeração por ar difuso com bolhas grossas por outro composto por difusores de bolha fina. A razão por essa mudança foi o consumo energético. Um sistema com difusores de bolha fina pode transferir até 2,5 vezes mais oxigênio que um sistema de bolhas grossa. Na prática, o sucesso do projeto resultou na possibilidade de desligar um dos sopradores, o que impactou numa redução na potência instalada em 33% e incremento no oxigênio dissolvido.

Saiba mais no site da B&F Dias, clique aqui!